Acessar o conteúdo principal
Israel/Gaza

Comissão militar aponta falhas de Israel em ataque a navio turco

Forças israelenses se aproximam do navio turco com ajuda aos palestinos de Gaza, no dia 31 de maio passado.
Forças israelenses se aproximam do navio turco com ajuda aos palestinos de Gaza, no dia 31 de maio passado. REUTERS

A comissão militar israelense encarregada de investigar o ataque à flotilha turca de ajuda à Faixa de Gaza conclui que as Forças Armadas falharam ao se preparar para abordar os navios. A operação matou nove militantes turcos, no dia 31 de maio passado.

Publicidade

As Forças Armadas de Israel falharam ao se preparar para interceptar a flotilha que tentou romper o bloqueio à Faixa de Gaza, no dia 31 de maio passado. A conclusão consta de um relatório interno do Exército israelense, divulgado nesta segunda-feira, e elaborado pelo general da reserva Giora Eiland.

O relatório sobre o caso, que deixou nove turcos mortos, acusa a Marinha de não ter avaliado a situação corretamente e de não estar preparada para "resistência violenta" durante a operação. Além disso, aponta para a falha de cooperação entre o serviço secreto israelense, o Mossad, e a Marinha. Apesar das duras críticas, o relatório não faz recomendações pessoais aos comandantes responsáveis pela ação. O documento afirma ainda que, aparentemente, os turcos foram os primeiros a atacar os militares israelenses.

Paralelamente, a investigação civil, que conta com a participação de dois observadores internacionais, continua em curso e deve levar em consideração as conclusões do relatório militar. A comissão civil não vai interrogar os militares que participaram da abordagem, efetuada em águas internacionais, e se limitará a receber o resumo das respostas dadas por um grupo de analistas do próprio Exército israelense.

O objetivo da comissão civil será determinar se as ações do Estado de Israel para impedir a chegada de ajuda humanitária à Gaza ocorreram conforme o direito internacional e se pronunciar sobre a legalidade do bloqueio marítimo que Israel mantém contra o território palestino.

Israel se prepara para interceptar um outro navio com ajuda aos palestinos, desta vez proveniente da Líbia. Fontes militares citadas pelo jornal Haaretz avaliam, no entanto, que o navio vai atracar em um porto egípcio.
 

Nathália Watkins, correspondente da RFI em Jerusalém.

Newsletterselfpromo.newsletter.text

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.