Acessar o conteúdo principal
11 de setembro

Mundo celebra os atentados de 11/09 nos Estados Unidos

Réplicas das Torres Gêmeas foram erguidas na Esplanada do Trocadero, em Paris.
Réplicas das Torres Gêmeas foram erguidas na Esplanada do Trocadero, em Paris. Reuters

Em diferentes países, homenagens às vítimas dos ataques e demonstrações de solidariedade com o povo americano marcaram as lembranças de 11 de setembro. Cerimônias religiosas e monumentos simbolizaram a repercussão planetária dos atentados que atingiram os Estados Unidos há 10 anos.

Publicidade

Em Paris, réplicas de 25 metros das duas Torres Gêmeas do World Trade Center foram erguidas na Esplanada do Trocadero, em frente à Torre Eiffel. Em umas das torres, foram escritos os nomes das vítimas e em outra as mensages de apoio recebidas pela associação franco-americana "The French will never forget" (Os franceses nunca vão se esquecer, em tradução livre).

A Associação foi criada em 2003 por um grupo de franceses residentes nos Estados Unidos como resposta à um sentimento anti-francês que surgiu no país após a recusa do governo da França de se engajar militarmente na guerra contra o Iraque.

O maior evento europeu de celebração dos 10 anos dos atentados de 11 de setembro aconteceu na presença do prefeito de Paris, Bertrand Delanoë e do embaixador americano em Paris, Charles Rivkin. À noite, um concerto musical está programado no local e juntamente uma iluminação especial da Torre Eiffel para lembrar a data.

Em Londres, cerca de 2 mil pessoas participaram de uma cerimônia religiosa na Catedral Saint Paul para prestar homenagens aos 67 ingleses mortos nos ataques. Na Nova Zelândia, jogadores e expectadores do jogo entre Irlanda e Estados Unidos observaram um minuto de silêncio no estádio Taranaki, antes do início da partida.

O papa Bento 16 aproveitou a ocasião para enviar uma mensagens aos líderes políticos: “não cedam à tentação do ódio”. Em Israel, o primeiro-ministro Benjamin Netaniahu afirmou que o terrorismo ainda representava uma ameaça contra à qual o mundo deveria se unir.

As tropas americanas no Afeganistão também prestaram suas homenagens aos mortos do 11 de setembro e também aos 2.700 militares americanos mortos em solo afegão durante os 10 anos de combates no país contra os radicais islâmicos.

Uma das cerimônias mais importantes foi realizada na base de Bagram, distante cerca de 50 quilômetros ao norte de Cabul, onde mil homens se reuniram em torno de uma pedaço da estrutura do World Trade Center onde foi gravada a data de 11/09/01.

 

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.