Acessar o conteúdo principal
Ranking / Custo de vida

Crise deixa cidades europeias mais baratas

Tóquio é a cidade mais cara do mundo, segundo um estudo da consultoria britânica Mercier.
Tóquio é a cidade mais cara do mundo, segundo um estudo da consultoria britânica Mercier. D.R.

Tóquio é a cidade mais cara do mundo para os estrangeiros em 2012, segundo o ranking divulgado nesta terça-feira pela consultoria britânica Mercer. Karachi, no Paquistão, continua sendo a menos cara das 214 cidades estudadas. A maior parte das capitais europeias caiu na classificação devido à crise e à desvalorização do euro. São Paulo e Rio de Janeiro também perderam posições.

Publicidade

Em segundo lugar ficou Luanda, capital de Angola, que liderava a lista no ano passado. Osaka, também no Japão, está em terceiro lugar, seguida por Moscou e Genebra.

Ainda entre as dez cidades mais caras do mundo, Singapura e Zurique estão em sexto lugar, tendo ganhado respectivamente duas e uma posição desde o ano passado. Ndjamena, no Chade, caiu cinco posições e está agora em oitavo lugar, enquanto Hong Kong se manteve em nono lugar.

São Paulo passou do 10° para o 12° lugar e o Rio de Janeiro vem logo atrás, tendo perdido uma posição.

Esse estudo usa como referência a cidade de Nova York e se baseia no custo de 200 bens e serviços, incluindo despesas com transporte, alimentos, roupas, lazer, eletrodomésticos e aluguel. A análise leva em conta as variações monetárias, determinadas em relação ao dólar americano, e visa ajudar os governos e as empresas multinacionais a avaliarem o montante dos bônus de expatriação para seus empregados em mobilidade internacional.

Europa

O estudo constata que "a maioria das cidades europeias caíram na classificação", com poucas exceções. "Isso se deve principalmente à instabilidade econômica na Europa, que levou à depreciação da maior parte das moedas locais contra o dólar americano", comentou Nathalie Constantin-Métral, coordenadora da pesquisa.

Paris mantém sua tendência de queda e perdeu 10 posições, ocupando este ano o 37° lugar. Mas continua sendo a cidade mais cara da zona do euro. Londres, que já foi uma das cidades com maior custo de vida, ocupa agora a 25ª posição. Milão, Roma, Estolcolmo, Viena, Amsterdã, Helsinqui, Praga, Bruxelas, Dublin, Oslo, Luxemburgo, Barcelona, Frankfurt e Munique também caíram no ranking.

Já as cidades dos Estados Unidos e da Austrália subiram na classificação devido à valorização de suas moedas. As cidades chinesas de Xangai (16ª) e Pequim (17ª) também progrediram devido à inflaçéao local e à valorização do yuan.

 

 

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.