Acessar o conteúdo principal
ONU/Síria

Kofi Annan quer apoio de Irã e Iraque para tirar Síria da crise

Kofi Annan apresenta os resultados de sua visita ao Irã e ao Iraque nessa quarta-feira diante do Conselho de Segurança da ONU.
Kofi Annan apresenta os resultados de sua visita ao Irã e ao Iraque nessa quarta-feira diante do Conselho de Segurança da ONU. REUTERS/Allison Joyce

O emissário especial das Nações Unidas e da Liga Árabe espera contar com a ajuda do Irã e do Iraque para resolver a crise síria. Os Estados Unidos reagiram mal e rejeitaram a possível participação dos iranianos no processo de paz. Kofi Annan deve apresentar o balanço de suas conversas com as autoridades de Teerã e de Bagdá diante do Conselho de Segurança das Nações Unidas nessa quarta-feira.

Publicidade

Kofi Annan esteve em Teerã e em Bagdá nessa terça-feira. Durante sua viagem ele pediu o apoio dos dois países para ajudar a comunidade internacional a tirar a Síria da crise que já dura mais de 16 meses e teria resultado na morte de cerca de 16 mil pessoas.

Em entrevista coletiva após sua passagem pelo Iraque, o representante da ONU disse que o premiê iraquiano Nouri al-Maliki estava muito preocupado com a situação na Síria e que era favorável a seu plano de paz. Mesmo tom do lado iraniano que, apesar de seus elos com Damasco, reafirmou seu apoio total ao projeto de Annan. “O Irã pode ter um papel positivo”, disse o representante da ONU.

Mas as declarações do emissário da ONU e da Liga Árabe para a Síria não agradaram os Estados Unidos. Logo após a entrevista de Annan, a Casa Branca rejeitou qualquer participação de Teerã nas negociações com a Síria.

Kofi Annan deve apresentar o balanço de suas conversas com as autoridades iranianas e iraquianas diante do Conselho de Segurança das Nações Unidas nessa quarta-feira.
 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.