Acessar o conteúdo principal
África do Sul/mMandela

Nelson Mandela deixa hospital e vai seguir tratamento em casa

Ambulância que supostamente transporta o ex-presidente Mandela, chega na casa do ex-presidente sul-africano em Johanesburgo, neste domingo.
Ambulância que supostamente transporta o ex-presidente Mandela, chega na casa do ex-presidente sul-africano em Johanesburgo, neste domingo. REUTERS/Stringer

O ex-presidente sul-africano Nelson Mandela, de 95 anos, deixou o hospital de Pretória neste domingo depois de ficar internado por três meses, anunciou a presidência do país em um comunicado. Segundo o comunicado, Nelson Mandela poderá receber em casa tratamento intensivo assim como na clínica onde ficou internado. No entanto, ela poderá retornar ao hospital novamente se “seu estado de saúde justificar”.

Publicidade

“O ex-presidente Nelson Mandela saiu esta manhã, 1° de setembro de 2013, do hospital de Pretória onde recebia tratamento”, escreveu a presidência acrescentando que seu estado de saúde “continua crítico e às vezes instável”.

Na véspera, a presidência teve que desmentir informações da imprensa de que o heroi da luta anti-apartheid pode voltar para sua casa em Johanesburgo. No domingo, uma ambulância, escoltada por policiais, foi vista chegando em seu domicílio, pouco antes das 9 horas da manhã.

Segundo o comunicado, Nelson Mandela poderá receber em casa tratamento intensivo assim como na clínica onde ficou internado. No entanto, ela poderá retornar ao hospital novamente se “seu estado de saúde justificar”.

A assessoria do presidente Jacob Zuma anunciou que o ex-presidente foi acompanhado por “uma ampla equipe médica incluindo representantes do exército, do meio universitário e do setor privado, assim como das esferas de saúde pública”.

O primeiro presidente negro da África do Sul, conhecido como “Madiba”, nome dado pela sua tribo, foi hospitalizado no dia 8 de junho devido a uma nova crise de infecção pulmonar e seu estado foi considerado “grave”. Ele podia respirar sem ajuda de aparelhos, mas seu estado de saúde se deteriorou e se tornou “crítico” no dia 23 de junho.

A presidência sul-africana sempre rejeitou dar mais detalhes da situação de Mandela alegando “segredo médico”.

Os problemas pulmonares de Nelson Mandela estão provavelmente vinculados às sequelas de uma tuberculose contraída durante o período em que esteve preso na prisão de Robben Island, nos arredores da Cidade do Cabo. No local, ele passou 17 dos 28 anos em que esteve preso durante o período do apartheid.

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.