Acessar o conteúdo principal
França/Política

Hollande revela as exigências para um acordo nuclear com o Irã

François Hollande durante discurso na residência do presidente Shimon Peres, em Jerusalém, domingo, 17 de novembro.
François Hollande durante discurso na residência do presidente Shimon Peres, em Jerusalém, domingo, 17 de novembro. REUTERS/Abir Sultan/Pool

Em seu primeiro dia de visita a Israel, o presidente François Hollande confirmou o “apoio inabalável” da França para o estado judeu e prometeu que seu país não vai ceder diante da proliferação nuclear, que representa uma “ameaça ao planeta”. O chefe de estado também anunciou as 4 exigências feitas pelas grandes potências mundiais para a conclusão de um acordo com o Irã.

Publicidade

“A proliferação nuclear é um perigo, é uma ameaça, principalmente para o Irã”, disse o presidente francês durante discurso em Jerusalém. “Uma ameaça para Israel ? Sim. Uma ameaça para a região ? É evidente. Uma ameaça para o mundo inteiro”, declarou Hollande.

Hollande foi recebido no aeroporto de Tel Aviv pelo presidente Shimon Peres e pelo chefe de governo, Benjamin Netaniahu. No local, o líder francês evocou pela primeira vez o problema do programa nuclear iraniano. “ Enquanto não tivermos a certeza de que o Irã renunciou à arma nuclear, vamos manter nossas exigências e sanções”, afirmou.

O presidente socialista disse ainda que a posição da França durante as negociações em curso com o Irã sobre o programa nuclear do país, leva em consideração os riscos que representa para o planeta. “É por isso que a França não vai ceder sobre a proliferação nuclear”, afirmou.

Exigências

Durante uma entrevista coletiva ao lado de Netaniahu, Hollande explicou que a França impõe 4 exigências discutidas com outros países que negociam com o regime de Teerã: colocar imediatamente sob controle integral da comunidade internacional as instalações nucleares iranianas, a suspensão do enriquecimento do urânio a 20%, a redução do estoque existente e por fim, a suspensão da construção da central de Arak.

A posição firme expressada pelo presidente francês agradou a Benjamin Netaniahu que disse estar “muito preocupado” com o acordo discutido em Genebra entre as grandes potências e o regime de Teerã.

Uma nova rodada de negociações envolvendo o grupo 5 + 1, formado por França, Alemanha, Estados Unidos, China, Rússia, Grã-Bretanha e o governo iraniano está prevista para quarta-feira, em Genebra.

Palestinos

Além do dossiê iraniano, o presidente francês também quer mostrar seu envolvimento na retomada das discussões do processo de paz entre israelenses e palestinos.

“Tenho grande esperança nas negociações de paz que vocês se comprometeram com os palestinos. Elas devem resultar numa paz justa, durável, definitiva que esgotará todas as reivindicações”, afirmou.

Hollande disse esperar "gestos" de Israel especialmente sobre assentamentos para contribuir com o processo de paz com os palestinos. “Gestos do lado israelense começaram a ser produzidos – a libertação de prisioneiros (palestinos) – “mas outros são esperados, especialmente sobre a colonização”, acrescentou.

Nesta segunda-feira, François Hollande se reúne em Ramallah com o presidente da Autoridade Palestina, Mahmoud Abbas, e vai fazer um discurso no parlamente israelense, em Jerusalém.

Abbas declarou que as negociações de paz vão durar nove meses, como previsto. "Aconteça o que acontecer", disse o líder palestino.
 

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.