Acessar o conteúdo principal
Oriente Médio/Clima

Tempestade de neve paralisa Jerusalém

Muro das Lamentações, em Israel, é atingido por tempestade de neve.
Muro das Lamentações, em Israel, é atingido por tempestade de neve. REUTERS/Darren Whiteside

Jerusalém sofre há três dias com uma nevasca intensa que paralisa a cidade. O fenômeno, que é o mais intenso em mais de um século, atinge também o norte do país e a Jordânia.

Publicidade

A rara nevasca continua neste sábado. Mas, segundo as previsões climáticas, a queda de neve deve ser diminuir hoje à noite. Desde 1879, Israel não vivia um fenômeno desse tipo. O mau tempo deixou 29 mil casas sem eletricidade no norte de Israel, sendo 13 mil em Jerusalém. Na vizinha Jordânia, a neve se acumulou nas estradas e prejudicou a circulação dos carros. Problemas semelhantes também atingem a Cisjordânia.

A Faixa de Gaza foi atingida por inundações. A Unrwa, agência de ajuda aos refugiados palestinos, lançou operações de combate às inundações. A entidade também procurado refúgio para os desabrigados. “Distribuímos 5 mil litros de combustível, mas a situação é desesperadora. Com elevação do nível das águas, o risco de contaminação [por diversas] doenças pode aumentar”, comunicou a Unrwa.

O Hamas, partido no poder na Faixa de Gaza, também informou que está atuando na ajuda às vítimas nas enchentes. Algumas pessoas tiveram que ser resgatadas por meio de botes.

Ontem, Israel abriu a passagem de Kerem Shalom para permitir a entrada de gás para os aquecedores das casas e prédios da Faixa de Gaza. A passagem será aberta novamente no domingo para alimentar a única central elétrica do enclave.

Por meio de sua conta no Twitter, a polícia israelense afirmou ter desbloqueado 200 motoristas que ficaram bloqueados na estrada por causa da tempestade de neve. No norte do país, o acesso a 45 cidades e vilarejos continua bloqueado.

 

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.