Acessar o conteúdo principal
Coreias/Acordo

Famílias coreanas separadas pela guerra poderão se reencontrar por 6 dias

Líder da delegação norte-coreana Park Yong Il (à esq.) cumprimenta o responsável pela delegação sul-coreana, Lee Duk-haeng, durante encontro nesta quarta-feira.
Líder da delegação norte-coreana Park Yong Il (à esq.) cumprimenta o responsável pela delegação sul-coreana, Lee Duk-haeng, durante encontro nesta quarta-feira. Foto: Reuters

As duas Coreias chegaram a um acordo nesta quarta-feira (5) que permitirá o reencontro, por alguns dias ainda neste mês de fevereiro, de famílias separadas depois da guerra de 1950-1953. Os representantes de Seul e Pyongyang se reuniram no vilarejo de Panmunjom, na fronteira comum entre os dois países, para estabelecer a data para o primeiro encontro entre familiares desde 2010.

Publicidade

Pelo novo acordo, as famílias poderão se encontrar entre os dias 20 e 25 de fevereiro, no Monte Kumgang, do lado norte da fronteira, informou o ministro sul-coreano da Unificação. Esse novo reencontro entre familiares, um tema sempre muito delicado na relação entre as duas Coreias, é visto como o primeiro sinal de distensão na relação entre os dois países depois de um período conturbado.

A tensão na península coreana aumentou no ano passado com o reforço das sanções impostas pelas Nações Unidas após um teste nuclear realizado pelo regime comunista de Pyongyang. Há meses os governos dos dois países não conseguiam chegar a um acordo mínimo para cooperar e diminuir as tensões na região. As últimas negociações para discutir o reencontro das famílias, marcadas para setembro de 2013, fracassaram. Pyongyang cancelou as chamadas “reuniões familiares” na última hora.

Sorteio

Opositores acusam a Coreia do Norte de usar essas negociações como barganha no conflito com a Coreia do Sul. A guerra dividiu milhares de famílias, e as viagens privadas de um lado e de outro da fronteira foram proibidas, assim como qualquer contato telefônico.

Com o acordo firmado nesta quarta-feira, 71 mil sul-coreanos, metade deles com mais de 80 anos, esperam poder rever em breve seus familiares do norte. Um sorteio é realizado para definir as pessoas que podem reencontrar seus familiares pelo período determinado nos acordos, sempre temporários.

Oficialmente, este ano a Coreia do Norte não vinculou esses reencontros familiares a um pedido de suspensão de manobras militares da Coreia do Sul e dos Estados Unidos.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.