Acessar o conteúdo principal
Turquia/Escândalo

Guerra das escutas telefônicas estremece cena política da Turquia

O premiê turco Recep Tayyip Erdogan declarou nesta terça-feira (25) no Parlamento que a gravação é 'uma montagem imoral'.
O premiê turco Recep Tayyip Erdogan declarou nesta terça-feira (25) no Parlamento que a gravação é 'uma montagem imoral'. REUTERS/Umit Bektas

A Turquia virou palco de uma verdadeira guerra de escutas telefônicas entre os ex-aliados do governo e o poder. Desde a segunda-feira (24) o alvo é o primeiro-ministro Recep Tayyip Erdogan, cuja suposta conversa telefônica com o filho, que comprovaria a sua corrupção, foi ouvida por milhões de pessoas nas redes sociais.

Publicidade

"O que eu te digo é que tire tudo o que tem em casa, OK? ". Assim começa a gravação da voz atribuída ao primeiro-ministro Recep Tayyip Erdogan. Em seguida há três outras chamadas em que Bilal Erdogan, filho do premiê, fala da dificuldade em "dissolver" a soma, equivalente a €30 milhões, cerca de R$90 milhões.

Mesmo se o poder contesta a autenticidade da gravação que teria acontecido em 17 de dezembro passado, em pleno escândalo financeiro envolvendo diversos membros do governo turco, a conversa telefônica foi postada na plataforma do Youtube provocando "o efeito de uma bomba atômica", como diz o editorialista Mustafa Akyol, do jornal Hürriyet Daily News.

O telefonema teria acontecido duas horas depois da primeira batida da polícia contra dezenas de pessoas próximas ao regime, por suspeita de corrupção. No caso, Erdogan estaria pedindo para o filho dar um sumiço na fortuna escondido em sua casa.

Redes sociais

A gravação inflamou literalmente as redes sociais. Nesta quarta-feira, mais de três milhões de pessoas já haviam ouvido a gravação, em diversos sites.

O premiê Erdogan reagiu energicamente, denunciando "uma montagem imoral" do grupo de M.Gülen, fomado por seus ex-aliados e agora rivais políticos.

A "guerra" das escutas telefônicas estremece a cena política do país há várias semanas, com "furos" de revelações telefônicas e conversas gravadas em circunstâncias obscuras.

"Governo! Demissão!"

Nesta quarta-feira (26), milhares de pessoas manifestaram nas ruas de diversas cidades da Turquia, denunciando a corrupção do regime de Erdogan, cujo governo promulgou uma lei polêmica que reforça seu poder sobre a justiça.

Os protestos começaram espontaneamente em mais de dez cidades, estendendo-se a Istambul e Ankara. As palavras de ordem são as mesmas: "Governo! Demissão!"

.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.