Acessar o conteúdo principal
Turquia/Protestos

Funeral de jovem morto pela polícia na Turquia gera novos incidentes

Enterro de adolescente morto pela polícia provoca novos protestos antigoverno em Istambul.
Enterro de adolescente morto pela polícia provoca novos protestos antigoverno em Istambul. REUTERS/Umit Bektas

Pelo menos 10 mil pessoas compareceram nesta quarta-feira (12) em Istambul ao funeral de um jovem de 15 anos, que morreu na terça-feira depois de ter sido ferido pela polícia nos distúrbios antigovernamentais de junho de 2013. O adolescente estava em coma havia 269 dias. "A polícia do AKP (Partido da Justiça e da Democracia, no poder) assassinou Berkin Elvan", gritava a multidão no bairro de Okmeydani. A polícia lançou bombas de gás lacrimogênio contra os manifestantes para dispersar o protesto.

Publicidade

Mais de 150 pessoas foram detidas na terça-feira à noite durante violentas manifestações em várias cidades turcas para denunciar a morte do adolescente. Milhares de manifestantes se reuniram de forma espontânea logo após o anúncio do falecimento do jovem. Berkin foi gravemente ferido na cabeça por uma bomba de gás lacrimogêneo durante os protestos de junho do ano passado.

Jovem foi ferido por bomba de gás lacrimogênio, segundo testemunhas

O adolescente é a vítima mais recente da repressão das manifestações iniciadas na praça Gezi de Istambul. A morte elevou a sete o número de manifestantes falecidos durante os eventos que deixaram mais de 8.000 feridos. Um policial também morreu nos protestos.

A família de Berkin afirmou tê-lo visto pela última vez em 16 de junho, quando ele saiu do apartamento de um bairro operário no centro de Istambul para comprar pão. De acordo com testemunhas, o jovem foi atingido por uma bomba de gás lacrimogêneo utilizada pela polícia durante as manifestações contra a "guinada autoritária" e "islamita" do governo do primeiro-ministro Recep Tayip Erdogan, no poder desde 2002.

Analistas já haviam antecipado que o funeral do jovem em Istambul poderia virar uma grande mobilização contra o governo. A retomada dos protestos acontece a menos de três semanas das eleições municipais de 30 de março, no momento em que o governo de Erdogan enfrenta um escândalo de corrupção sem precedentes.

Parlamento Europeu lança advertência a Erdogan

O Parlamento Europeu de Estrasburgo manifestou hoje sua preocupação com a evolução da situação política na Turquia, sobretudo após a recente adoção de duas leis controversas: uma que rege o funcionamento da internet no país e outra que reforça o controle do Estado na nomeação de juízes e procuradores.

Em uma resolução em tom de advertência, os eurodeputados afirmam que a Turquia "deriva do caminho de realização dos critérios de adesão à União Europeia". Os eurodeputados se inquietam com os recentes escândalos de corrupção no governo Erdogan e a intervenção do Executivo no Judiciário, que levou ao afastamento de dezenas de juízes e policiais.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.