Acessar o conteúdo principal
Japão/ central nuclear

Fukushima: antes de se contaminar, água será jogada no mar

A central de Fukushima irá gerar até 2027 mais de 560.000 metros cúbicos de resíduos radioativos.
A central de Fukushima irá gerar até 2027 mais de 560.000 metros cúbicos de resíduos radioativos. REUTERS/Tomohiro Ohsumi/Pool/Files

A companhia Tepco, que gerencia a central nuclear acidentada de Fukushima, no Japão, anunciou nesta quarta-feira (9) que começou a recuperar a água acumulada sob os reatores para jogá-la no mar, antes que seja contaminada. Doze bombas d’água estão em operação.

Publicidade

A água retirada será provisoriamente estocada em um reservatório, por um mês, para a realização de análises de laboratório e a confirmação de que não é radioativa. Se a água for considerada limpa, será lançada no oceano Pacífico.

Cerca de 400 toneladas de água subterrânea entram diariamente nas instalações atômicas, aumentando a quantidade de água contaminada ao entrar em contato com os equipamentos danificados. Essa água precisa ser estocada e purificada, uma tarefa que multiplica o trabalho para descontaminar a região.

As autoridades japonesas e a Tepco elaboraram um plano de “desvio” da água, que desce naturalmente para o mar. O objetivo é evitar que ela entre em contato com as instalações nucleares.

Resistência de pescadores

No final de março, as cooperativas de pescadores de Fukushima concordaram em princípio com o procedimento, embora tenham tido resistência inicialmente. A operação havia sido apresentada há mais de um ano, mas fora recusada pelos pescadores, que impuseram algumas condições para aprová-la definitivamente.

O procedimento deve reduzir em 100 toneladas a quantidade diária de água contaminada na central. O problema do tratamento da enorme quantidade de água radioativa acumulada, entretanto, permanece.
 

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.