Acessar o conteúdo principal

Partido anticorrupção passa por novo teste eleitoral em Nova Délhi

Mulher vota em seção eleitoral de Amka, na periferia de Nova Délhi. 1à de abril de 2014.
Mulher vota em seção eleitoral de Amka, na periferia de Nova Délhi. 1à de abril de 2014. REUTERS/Adnan Abidi

As eleições lesgislativas indianas, que acontecem em nove etapas até o dia 12 de maio, chegaram nesta quinta-feira (10) a Nova Délhi. A votação na capital é considerada estratégica para o partido que deseja garantir maioria no Congresso. Atualmente, os sete deputados de Nova Délhi no parlamento indiano pertencem ao Partido do Congresso, do líder Rahul Gandhi, herdeiro da tradicional dinastia de políticos Nehru-Gandhi.

Publicidade

O Partido do Congresso perdeu a eleição regional de dezembro na capital para o partido anticorrupção Aam Aadmi Party (AAP, Partido do Homem Comum), mas depois a legenda decepcionou o eleitorado. O líder do AAP, Arvind Kejriwal, pediu demissão do Executivo municipal 49 dias depois da posse. Os nacionalistas hindus da legenda BJP, do opositor Narendra Modi, são apontados como favoritos nessas eleições legislativas.

Além de Nova Délhi e seus 17 milhões de habitantes, 13 estados do norte da Índia também votam nessa terceira etapa do pleito. Pela primeira vez, o AAP apresenta candidatos em 400 circunscrições. O partido promete "limpar" a política indiana demitindo todas as autoridades condenadas pela justiça e acusadas de crimes.

Maior eleição do mundo

A maior eleição do mundo, como está sendo chamada esta votação na Índia, reúne cerca de 815 milhões de indianos. Pela extensão e a variedade do território indiano, com desertos, zonas montanhosas e florestas, a votação acontece em nove etapas ao longo de um mês. As equipes eleitorais percorrem o país em caravanas, transportando as urnas de uma região para outra.

Há dez anos no poder, o Partido do Congresso, dirigido por Rahul Gandhi, corre o risco de perder a metade das 543 cadeiras na câmara baixa do parlamento indiano. As pesquisas apontam a vitória do BJP, de Narendra Modi, governador há 13 anos do estado de Gudjarat.

Os dois maiores partidos indianos propõem programas econômicos semelhantes. A diferença é que nos últimos dez anos o Partido do Congresso apostou em programas sociais, e daqui para a frente os nacionalistas hindus defendem reformas estruturais de modernização do país para atrair investimentos estrangeiros.

Os resultados das legislativas indianas devem ser anunciados no dia 16 de maio.

Newsletterselfpromo.newsletter.text

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.