Acessar o conteúdo principal
Austrália/drama

Bebê com Síndrome de Down nascido de mãe de aluguel emociona Austrália

Uma mãe de aluguel tailandesa ficou com um bebê que nasceu com Síndrome de Down e que foi abandonado pelos pais biológicos australianos.
Uma mãe de aluguel tailandesa ficou com um bebê que nasceu com Síndrome de Down e que foi abandonado pelos pais biológicos australianos. REUTERS/Damir Sagolj

A história emocionou a Austrália e ganhou destaque na imprensa internacional: Pattaramon Chanbua, uma jovem tailandesa contratada como mãe de aluguel, deu à luz dois bebês, um deles com Síndrome de Down, e teria se recusado a abortar quando soube do diagnóstico.

Publicidade

Os pais biológicos, australianos, pagaram € 11 mil (R$ 33 mil) para jovem, mas a teriam aconselhado a realizar o aborto de Gammy, o bebê com Síndrome de Down. Pattaramon, que é budista, se recusou em razão de sua religião.

As versões são contraditórias: em entrevista ao canal americano ABC, o casal de australianos se diz "traumatizado" pela história e afirma que não foram informados da existência do bebê, batizado de Gammy, que também nasceu com problemas cardíacos. Segundo eles, até mesmo o médico da clínica escondeu que a jovem teve gêmeos, e deu ao casal apenas uma das crianças.

A mãe de aluguel, que já tem dois filhos de 3 e 6 anos, disse à agência Fairfax que pretende ficar com Gammy. "Eu perdôo os pais. É o melhor que posso fazer. Eles provavelmente têm seus problemas."

Mais de € 140 mil já foram coletados

Desde que o caso veio à tona, publicado pelo jornal tailandês Thairath, mais de € 140 mil foram coletados para ajudar a criança. Parraramon, que vive em Chonburi, no sul de Bangkok, não tem dinheiro para bancar o tratamento de Gammy.

Na Austrália, o ministro da Imigração, Scott Morrison, fez um apelo pela “responsabilidade moral” de cada um. Na TV, ele disse  "compreender o desejo e a angústia daqueles que desejam ser pais, mas o caso traz à tona questões graves, que devem ser tratadas com prudência."

A lei australiana não autoriza as mães de aluguel, mas casais com dificuldades para engravidar podem pedir a uma mulher que carregue o feto e pagar pelas despesas médicas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.