Acessar o conteúdo principal
Coreia do Norte/AIEA

Coreia do Norte pode ter reativado reator capaz de produzir plutônio, diz AIEA

O líder norte-coreano Kim Jong Un
O líder norte-coreano Kim Jong Un (Foto: KCNA)

A Coreia do Norte pode ter reativado o reator nuclear de Yongbyon, capaz de produzir plutônio para suas bombas atômicas, segundo a Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA). A informação consta em um relatório que vazou para a imprensa francesa.

Publicidade

Segundo o relatório, este é o único reator do regime de Pyongyang. Fechado em 2007, ele teria voltado a funcionar em agosto de 2013. Mas a agência não pode confirmar a informação, já que está sem acesso ao local desde 2009. De acordo com a AIEA, a análise das imagens via satélite mostrou vapores gerados pelo resfriamento da água do equipamento.

O reator norte-coreano tem capacidade para produzir seis quilos de plutônio por ano, a quantidade necessária de material radioativo para fabricar uma bomba nuclear. Ele foi desativado há sete anos, depois da assinatura de um acordo de desarmamento com a comunidade internacional.

Reforma do reator teve início em 2013

A Coreia do Norte, que já realizou três testes nucleares desde 2006, iniciou uma reforma das instalações de seu reator em fevereiro de 2013. No início de agosto, o Instituto para a Ciência e a Segurança Internacional (ISIS) já havia estimado que as imagens do complexo nuclear deixavam claras as intenções do país em relançar sua produção de plutônio e urânio.

Com o acesso ao local proibido, é impossível determinar a quantidade de material radioativo que vem sendo produzida. A AIEA também acredita que o regime esteja adquirindo novas centrífugas. A Coreia do Norte afirma que produz apenas urânio levemente enriquecido. Segundo especialistas, Pyongyang utilizou parte de seu estoque em seus testes nucleares, e teria plutônio sufciente para produzir seis bombas.
 

Newsletterselfpromo.newsletter.text

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.