Acessar o conteúdo principal
Rússia/Internet

Rússia quer reforçar segurança da Internet no país

O presidente russo Vladimir Putin le 10 septembre 2014 à Moscou, antes da Cúpula da OCS (Organização da Cooperação de Xangai)
O presidente russo Vladimir Putin le 10 septembre 2014 à Moscou, antes da Cúpula da OCS (Organização da Cooperação de Xangai) REUTERS/Alexei Druzhinin/RIA Novosti/Kremlin

O porta-voz do Kremlin, Dmitri Peskov, disse nesta sexta-feira (19) que o governo do país poderá tomar medidas para reforçar a segurança da Internet na Rússia. Ele negou que haja a intenção de bloquear o acesso à rede mundial de computadores.

Publicidade

“A Rússia não pode se desconectar da Internet mundial. Isso está fora de cogitação”, disse Peskov, citado pela agência pública Interfax. “Entretanto, nos últimos tempos, nossos parceiros nos Estados Unidos e na Europa mostraram ser bastante imprevisíveis. Devemos estar preparados para qualquer eventualidade”, declarou.

Um dos objetivos, explica o responsável do governo, é proteger a Internet russa de ações externas. As sanções ocidentais, por exemplo, poderiam influenciar o funcionamento da rede no país.

Citando indiretamente os Estados Unidos, o porta-voz lembrou que a “identidade do principal administrador da Internet mundial é conhecida. Levando em conta sua imprevisibilidade, devemos pensar em como assegurar nossa segurança nacional”,declarou.

Segundo o jornal russo Vedomosti, o presidente russo Vladimir Putin deve reunir nesta segunda-feira o Conselho de Segurança russo para discutir a questão e detalhar as medidas.

Outros encontros com responsáveis do setor no governo russo também deverão abordar o funcionamento da Internet na Rússia em caso de situações de emergência. A reportagem também cita diferentes operadoras e empresas russas ligadas à Internet e a associações.

De acordo com o jornal, implantar um controle da Internet russa é complicado, porque, contrariamente à Internet na China, a Rússia é mais dependente da infraestrutura mundial.

O blogueiro russo Anton Nossik assegurou que as autoridades russas pretendem controlar a entrada e a saída dos dados no país.  Há vários meses, o governo russo introduziu uma lei que obriga as empresas de Internet a manterem seus dados na Rússia.

Grupo lança Declaração de Direitos Digitais Humanos

A Declaração de DireitosDigitais Humanos foi lançada hoje em Paris pelo Forum de Avignon, um grupo de reflexão formado por filósofos, economistas e empreendedores para promover o diálogo entre diferentes culturas. O documento tem como objetivo proteger a utilização de dados pessoais, mas sem impedir o desenvolvimento da pesquisa e da inovação.

A declaração digital se inspirou na Declaração Universal dos Direitos Humanos instituída em 1789 e também na Declaração do Genoma Humano adotada pela Unesco em 1997. O texto foi redigido em cinco línguas, e tem 8 artigos que tratam de vida privada, transparência e exploração de informações.
 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.