Acessar o conteúdo principal
África/Terrorismo

Exército liberta mais de 20 reféns do Boko Haram nos Camarões

Adiza, 13 anos, a mais jovem dentre as mulheres sequestradas por Boko Haram em Damasak. Ela fugiu e conseguiu chegar até o campo de refugiados de Chétimari no Níger.
Adiza, 13 anos, a mais jovem dentre as mulheres sequestradas por Boko Haram em Damasak. Ela fugiu e conseguiu chegar até o campo de refugiados de Chétimari no Níger. RFI/ Nicolas Champeaux

A operação militar foi realizada nesta segunda-feira (19) no norte dos Camarões, onde o movimento islâmico radical sequestrou cerca de 80 pessoas no final de semana. Os militares do Chade avançam para lutar contra o grupo Boko Haram que expande suas ações para além das fronteiras da Nigéria.

Publicidade

Sem fornecer muitos detalhes, a Rádio e Televisão Nacional Camaronesa (CRTV) anunciou a libertação de 24 reféns baseando-se em informações do ministro da Comunicação Issa Tchiroma Bakary.

Fontes governamentais disseram que o exército camaronês perseguiu e pressionou os militantes do grupo radical após o rapto, até conseguir a libertação do primeiro grupo de reféns. Os extremistas conseguiram fugir para a vizinha Nigéria com mais de 50 pessoas sequestradas.

No domingo, um policial baseado no extremo norte dos Camarões confirmou o ataque do Boko Haram contra duas cidades da região de Tourou. Segundo ele, os extremistas deixaram o local com cerca de 60 reféns, a maioria deles mulheres e crianças.

De acordo com a CRTV, as cidades foram totalmente destruídas durante os ataques que deixaram três mortos. A identidade das vítimas não foi revelada. O número de reféns teria sido de pelo menos 80 pessoas, indicou a rede de rádio e televisão.

Militares do Chade na caça ao "inimigo"

O Chade, cujas tropas estão posicionadas a cerca de 200 km das cidades atacadas, começou a deslocar suas tropas para os Camarões para ajudar o país vizinho a combater o Boko Haram, que ameaça também seu próprio território.

Na noite de domingo, o contingente chadeano com 400 veículos militares se instalou em Mantam, a oeste de Kousseri, na fronteira do Chade com a Nigéria e nas proximidades de um entroncamento rodoviário com o norte de Camarões.

O coronel Djerou Ibrahim, reponsável pela operação, disse que nesta segunda-feira (19) as tropas do Chade seguem em direção ao "inimigo".
 

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.