Acessar o conteúdo principal
Espaço

Agências espaciais da Rússia e dos EUA anunciam nova estação para substituir a ISS

Astronauta entrando na ISS, ontem, para uma missão de um ano no espaço.
Astronauta entrando na ISS, ontem, para uma missão de um ano no espaço. Reprodução NASA

A Rússia anunciou neste sábado (28) sua intenção de construir, em parceria com os Estados Unidos, uma nova estação espacial orbital para substituir a Estação Espacial Internacional (ISS), que deve encerrar suas atividades em 2024. Na última sexta-feira, uma nave levando a bordo um astronauta americano e dois russos se acoplou com sucesso à ISS, dando início a uma missão inédita com duração de um ano.

Publicidade

O anúncio foi feito pelo diretor da agência russa Roscosmos, Igor Komarov, ao lado do diretor da Nasa, Charles Bolden, no Cosmódromo de Baikonur, no Casaquistão. “Estamos de acordo para que um grupo de países que fazem parte da ISS também trabalhe no futuro projeto”, afirmou Komarov, segundo informações da agência Interfax. Ele também disse que o novo projeto é “aberto”, ou seja, outros países que não integram a ISS também poderão participar.

A Rússia e a Nasa haviam feito um acordo recente para continuar a explorar e financiar a Estação Espacial Internacional até 2024, mas havia incerteza quanto a novas parcerias depois disso, em razão da deterioração das relações entre os dois países causada pela crise ucraniana. “Mas não excluímos a possibilidade de prolongar a duração da ISS”, ressalvou o diretor da Roscosmos.

O anúncio de hoje surpreendeu, já que a Rússia havia ameaçado se retirar da Estação Espacial Internacional a partir da 2020 e construir sua própria estação a partir de 2024, utilizando os módulos da ISS que lhe pertencem.

Governo não confirma

Mas ao se manifestar pelo Twitter, o vice-primeiro-ministro russo, Dmitri Rogozine, encarregado do setor espacial, foi mais prudente que o diretor da Roscosmos. “O governo russo vai estudar os resultados da negociação entre a Roscosmos e a Nasa. As decisões serão tomadas depois”, disse ele.

Na última sexta-feira, uma nave levando a bordo um astronauta americano e dois russos se acoplou com sucesso a ISS, dando início a uma missão inédita com duração de um ano que tem por objetivo analisar as reações do corpo humano ao passar tanto tempo fora da Terra. (Veja vídeo abaixo).

Desde que entrou em órbita, em 1998, a ISS é financiada pela Rússia e pelos Estados Unidos, com ampla dependência de uma parte a outra, fazendo da cooperação espacial um dos raros setores em que a o entendimento entre os dois países continua intacto.

 

Chegada dos astronautas a ISS para missão com duração de um ano:

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.