Acessar o conteúdo principal
Indonésia/Execução

Indonésia rejeita último recurso de francês condenado à morte

O Tribunal Administrativo de Jacarta, rejeitou o recurso para evitar a execução do francês Serge Atlaoui.
O Tribunal Administrativo de Jacarta, rejeitou o recurso para evitar a execução do francês Serge Atlaoui. REUTERS/Beawiharta/Files

A Justiça da Indonésia rejeitou nesta segunda-feira (22) o último recurso para evitar a execução de Serge Atlaoui, condenado à pena de morte no país por tráfico de drogas. O francês estava na lista dos presos que foram fuzilados em abril, junto com o brasileiro Rodrigo Gularte, mas acabou se livrando da morte da véspera da execução.

Publicidade

A resposta negativa do Tribunal Administrativo de Jacarta não é uma surpresa. Em abril, dois australianos condenados por tráfico de drogas também tiveram o mesmo recurso recusado e acabaram sendo executados.

Os advogados indonésios do francês alegaram que o presidente do país não havia examinado o processo de Atlaoui antes de rejeitar seu pedido de clemência. “Estamos decepcionados com essa decisão, mas vamos encontrar outra forma de recurso”, declarou Nancy Yuliana, que defende o condenado. A advogada não deu detalhes sobre o próximo passo de sua estratégia.

Salvo no último momento

Atlaoui, de 51 anos, deveria ter sido executado no dia 29 de abril com oito outros condenados, entre eles o brasileiro Rodrigo Gularte. Mas foi retirado do grupo no último momento devido à forte pressão diplomática de Paris.

O francês, preso há 10 anos na Indonésia, sempre alegou ser inocente. Ele insiste que foi para o país em 2005 para trabalhar em uma fábrica, sem saber que no local funcionava um laboratório de produção de ecstasy.

O governo francês garantiu uma "mobilização total" para salvar Atlaoui. O secretário de Estado dos Assuntos Europeus, Harlem Désir, reafirmou nesta segunda-feira sua determinação na luta contra a pena de morte e para salvar a vida do condenado.

Eleito em 2014, o presidente indonésio Joko Widodo fez da luta contra o tráfico de drogas no país a principal meta de sua administração.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.