Acessar o conteúdo principal
Irã/Programa Nuclear

Acordo sobre programa nuclear do Irã é adiado novamente

Negociadores discutem programa nuclear iraniano, em Viena
Negociadores discutem programa nuclear iraniano, em Viena REUTERS/Leonhard Foeger

As negociações sobre o programa nuclear iraniano, que tinham essa terça-feira como prazo final, foram prorrogadas. O anúncio foi feito pela chefe da diplomacia europeia Federica Mogherini, diante do hotel em Viena, onde aconteceu nesta terça-feira (7) a reunião entre a República Islâmica e o grupo dos 5+1, composto por Estados Unidos, Rússia, China, Reino Unido, França e Alemanha.

Publicidade

Essa é a quarta vez que a decisão é postergada. Mas, segundo diplomatas ocidentais, não haverá outros adiamentos. De acordo com a porta-voz da delegação americana, Marie Harf, as partes estão mais interessadas na "qualidade do acordo" do que no prazo, ainda que reconheçam que "decisões difíceis não ficarão mais simples com o tempo".

Litígio

Após onze dias consecutivos de negociações na capital austríaca, questões "decisivas" travando um acordo. O Irã pede o fim do embargo das Nações Unidas sobre a importação de armas, além da suspensão das sanções ligadas a seu programa de mísseis balísticos e do estabelecimento de um calendário de retirada das sanções americanas e europeias, que asfixiam a economia do país.

As potências ocidentais não querem abrir mão de certo controle sobre as aspirações militares iranianas e exigem que a Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) tenha acesso irrestrito às instalações nucleares de Teerã. A República Islâmica nega a todo momento que tenha tido ou tenha fins militares. Mas Teerã reivindica o direito a explorar uma cadeia nuclear civil completa, inclusive com o enriquecimento de urânio.

A questão das sanções também é particularmente delicada: Teerã quer uma anulação substancial e rápida das sanções, sobretudo as adotadas pelo Conselho de Segurança da ONU a partir de 2006. O grupo 5+1 insiste em um processo progressivo e reversível, caso Teerã não cumpra seus compromissos. "Em algumas questões, as linhas vermelhas de cada parte se aproximaram e em outras, continua havendo problemas", declarou uma fonte oficial iraniana, que pediu para ter sua identidade preservada.

Apesar de um acordo-quadro ter sido concluído em Lausanne, em abril passado, os titulares das Relações Exteriores dos Estados Unidos e do Irã, John Kerry e Mohammad Javad Zarif, não conseguiram resolver os pontos em litígio.

Com informações da AFP

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.