Acessar o conteúdo principal
MH370/Malaysia Airlines

Buscas por destroços do MH370 na Ilha de Reunião recomeçam domingo

Avião militar francês vai retomar buscas neste domingo na costa da Ilha da Reunião.
Avião militar francês vai retomar buscas neste domingo na costa da Ilha da Reunião. REUTERS/Stringer

As autoridades francesas anunciaram que as buscas dos destroços da aeronave da Malaysia Airlines, que haviam sido lançadas na sexta-feira (7), serão interrompidas até domingo (9). As operações foram retomadas após a localização, na semana passada, do pedaço de uma asa de avião que poderia pertencer ao aparelho que caiu em março de 2014 com 239 pessoas a bordo.

Publicidade

Segundo a comandante Aline Simon, que pilota as operações “não haverá nenhuma missão neste sábado”. As buscas serão retomadas às 8h de domingo, no horário local, informou a chefe do gabinete das Forças Armadas na zona do sul do Oceano Índico.

A militar também disse que apenas um avião Casa continuará a missão e que nenhum helicóptero ou barco fará parte da operação. “As embarcações serão mobilizadas somente se um destroço tiver que ser resgatado”, completou.

Chuva atrapalhou as buscas

As condições meteorológicas complicaram o lançamento das operações de busca na manhã desta sexta-feira, pois chovia na região. Mesmo assim, a aeronave do exército patrulhou uma zona de 5.300 km² ao leste da ilha nesta sexta-feira.

As buscas foram relançadas a pedido do governo francês, após a descoberta, na semana passada, do pedaço de uma asa de avião na Ilha da Reunião, que faz parte do território francês. A peça foi analisada nesta quarta-feira (5) por peritos na região de Toulouse, no sudoeste da França, que confirmaram, segundo o primeiro-ministro da Malásia, Najib Razak, que o objeto pertence ao MH370.

No entanto, as autoridades francesas, principais responsáveis pela investigação, preferiram manter a cautela. "Podemos afirmar que existem fortes presunções para dizer que o pedaço de asa encontrado pertence ao Boieng do voo MH370 da companhia Malaysia Airlines”, disse o procurador-adjunto francês Serge Mackowiak.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.