Acessar o conteúdo principal
Síria/Política

Bashar Al-Assad responsabiliza países ocidentais por crise de migrantes

O presidente sírio, Bashar Al-Assad.
O presidente sírio, Bashar Al-Assad. Foto: REUTERS/SANA/Handout

O presidente da Síria, Bashar Al-Assad, acusou nesta quarta-feira (16) os países ocidentais de desempenharem um papel dúbio em relação aos refugiados sírios. Segundo o líder, por um lado os governos lamentam a situação deles, por outro, alimentam a guerra que os leva ao exílio.

Publicidade

"É como se o Ocidente chorasse com um olho o destino dos refugiados e com o outro os mirassem com uma arma", disse Al-Assad durante uma entrevista a um grupo de jornalistas russos. Foi a primeira declaração pública do líder sírio sobre o drama dos refugiados, boa parte deles sírios, que tentam chegar à Europa.

Al-Assad acusa os países ocidentais de apoiarem os terroristas desde o início do conflito em seu país e de tentarem responsabilizar o regime pela crise.

Segundo o chefe de estado sírio, "se a Europa se mostra tão envolvida com o destino dos refugiados, que ela pare de apoiar o terrorismo". O regime sírio qualifica de terroristas todos os seus opositores: dos dissidentes políticos que escolheram a luta pacífica até os que partiram para a luta armada e os jihadistas do grupo Estado Islâmico.

Muitos países europeus apoiam a oposição "moderada" a Bashar Al-Assad, mas combatem os radicais do grupo Estado Islâmico.

A guerra na Síria teve início em 2011 com manifestações pacíficas de cidadãos pedindo mais democracia no país. Os protestos foram reprimidos violentamente pelo regime de Al-Assad e levaram o país a uma guerra civil. Mais de 240 mil pessoas morreram em mais de quatro anos de conflito.

 

 

 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.