Acessar o conteúdo principal

Grupo Estado Islâmico liberta civis usados como escudos humanos

Mulher abraça combatente curda após ser evacuada da cidade de Manbij, na Síria.
Mulher abraça combatente curda após ser evacuada da cidade de Manbij, na Síria. REUTERS/Rodi Said

O grupo Estado Islâmico libertou neste sábado (13) centenas de civis usados como escudos humanos durante a fuga dos extremistas de seu reduto estratégico da cidade de Manbij, no norte da Síria, após a derrota durante um violento combate contra soldados curdos apoiados pelos Estados Unidos.

Publicidade

Os últimos terroristas abandonaram Manbij na sexta-feira (12), cidade considerada estratégica para o abastecimento do grupo, situada entre a Turquia e a Síria. Os extremistas foram expulsos da cidade, que controlavam desde 2014, após uma batalha de mais de dois meses. Os jihadistas haviam sequestrado quase 2 mil civis para serem utilizados como escudos, entre eles crianças.

Esta é a derrota mais importante do grupo Estado Islâmico para as chamadas Forças Democráticas Sírias (FDS), uma coalizão de combatentes árabes e curdos apoiados por Washington. Além da importância estratégica para o abastecimento dos extremistas, o governo dos Estados Unidos classificou Manbij como base logística para a saída dos combatentes do Estado Islâmico em direção à Europa, onde o grupo reivindicou recentemente vários atentados.

Uma fonte das Forças Democráticas Sírias afirmou à agência AFP neste sábado (13) que "parte dos civis conseguiu escapar na estrada que leva a Jarablos”, reduto do grupo Estado Islâmico situado ao norte de Manbij, enquanto "outros foram libertados". "A batalha foi muito dura. E os jihadistas haviam minado a cidade", declarou uma fonte curda.

O canal Kurdistan24, com sede no Iraque, exibiu imagens de civis na cidade, com mulheres de niqab (burca) agradecendo os combatentes curdos e outras, sorridentes, com bebês no colo. Diante das câmeras, uma mulher queimou uma burca imposta aos habitantes pelos jihadistas, enquanto homens cortaram a barba com tesouras. O Estado Islâmico proíbe aos homens aparar a barba nas áreas sob seu controle na Síria e Iraque.
 

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.