Acessar o conteúdo principal
Linha Direta

Empresas australianas adotam véu islâmico no trabalho

Áudio 04:22
O Commonwealth Bank na Austrália oferece aos funcionários a opção de usar um uniforme composto por um véu islâmico.
O Commonwealth Bank na Austrália oferece aos funcionários a opção de usar um uniforme composto por um véu islâmico. Reprodução twitter ‏@MoniqueToohey

Enquanto na França o traje islâmico ainda causa polêmica, outros países tratam a questão de uma maneira mais consensual. Dois dos maiores bancos australianos foram os primeiros a adotar o véu islâmico como parte do uniforme de trabalho de seus funcionários muçulmanos.  

Publicidade

Luciana Fráguas, correspondente da RFI na Austrália

O véu apresenta a logomarca das empresas, tem um design corporativo e vem nas cores de cada banco. A maior empresa de telecomunicações do país também deve lançar sua linha de uniformes com o véu em breve. Já a polícia tem opções de véus azul escuro para uniformes de policiais muçulmanos e turbantes com crachá para os uniformes dos policiais indianos.

O Commonwehath Bank foi o primeiro banco australiano a adotar o véu como parte do uniforme de seus funcionários.O processo todo levou de seis a doze meses. Foram feitas muitas consultas com os empregados, aqueles que trabalham nos caixas e que ficam em contato direto com os clientes.
Durante essas consultas e entrevistas foi discutido com as funcionárias muçulmanas o tipo de material, o tamanho, o design, o custo e o posicionamento da logomarca no véu.

As funcionárias também foram questionadas se haveria algum problema em adicionar as cores corporativas e o logo a um símbolo religioso. As reações foram muito positivas, de acordo com a gerente executiva do Commonwealth, Malini Raj. Segundo ela, isso era algo que elas queriam, “as cores e a marca do banco estampadas” como parte da coleção de peças que compõem o uniforme da empresa. Até agora, 300 funcionárias já encomendaram o seu véu islâmico corporativo. A gerente acredita que a ação mostra aos clientes e demais funcionários que o banco tem orgulho da diversidade cultural e religiosa de seu staff, e que é importante fazer com que todos se sintam aceitos e respeitados.

Pedidos de véu ultrapassaram as expectativas

O plano inicial era para que só o pessoal do ‘frontline’ tivesse o véu corporativo, pois cada funcionária muçulmana vinha com seu próprio véu nas mais diversas cores, modelos e tamanhos. Mas uma vez lançado, os pedidos pelo véu com o logo foram tantos que a peça foi disponibilizada para o pessoal da central de atendimento telefônico e demais funcionários que trabalham nas áreas administrativas das agências. A gerência do banco também espera que a adoção do véu no uniforme da empresa encoraje candidatas muçulmanos a trabalharem para o banco.

Um dos maiores competidores do Commonwealth Bank, o Westpac, anunciou que sua nova coleção de uniformes será lançada em abril e que vai incluir o véu islâmico. O banco inclusive chamou umas das designers mais famosas da Austrália, Carla Zampatti, para desenhar o véu com a marca do banco. O véu do Westpac será azul marinho, com a logomarca em cinza, combinando com as outras peças do uniforme.

As razões para a adoção do uniforme são as mesmas apontadas pela concorrência: o Westpac quer tornar o local de trabalho mais inclusivo e diz que a ação é parte de uma política de inclusão e respeito a diversidade cultural e religiosa de sua força de trabalho.  A companhia de telecomunicações Optus também vai introduzir o véu islâmico nas cores violeta e azul petróleo, já a partir dessa semana. A peça será disponibilizada a qualquer fucionária que quiser usá-la.

A polícia federal australiana permite que os funcionários que solicitem, usem o lenço ou véu islâmico dependendo de cada caso. Já a polícia do estado de Vitoria, onde moro, oferece véus e lenços nas cores corportativas. E não só o véu lenço islâmico, mas também o solidéu judeu e o turbante indiano sikh nas cores azul escuro da polícia. O turbante inclusive tem acessórios, um crachá e uma faixa xadrez.

Reações negativas

Houve um episódio controverso no ano passado. A Optus, a empresa de telecomunicações que mencionei antes, teve que remover seus posters traduzidos em árabe em um shopping centre em Sydney. Um dos funcionários da empresa teria recebido ameaças. Isso aconteceu logo após os ataques em Paris. Em geral os australianos são muito receptivos e tranquilos com relação a isso, como você sabe, a australiana Aheada Zanetti, foi quem inventou o burquini, a influência do design islâmico para outras peças do guarda roupa feminino é quase que natural para os australianos muçulmanos.

A receptividade até agora tem sido boa, principalmente por parte da imprensa. A iniciativa tem ganhado destaque em toda a mídia nacional e mais empresas estão entrando na onda. As funcionárias desses bancos estão entusiasmadas, dizem que o véu corporativo é mais bonito, tem a marca do banco e combina mais com o uniforme.  Elas também acreditam que colocar a marca da empresa no véu islâmico que elas usam todos os dias é um passo enorme em direção a uma força de trabalho mais diversificada e inclusiva.

 

Newsletterselfpromo.newsletter.text

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.