Acessar o conteúdo principal
Brasil-África

Grupo de brasileiras ajuda moradores de rua na África do Sul

Áudio 03:51
Grupo de brasileiras entrega comida para moradores de rua em Cape Town, na África do Sul
Grupo de brasileiras entrega comida para moradores de rua em Cape Town, na África do Sul (Foto: Amanda Lourenço)

Toda quinta-feira, as brasileiras Safiya, Érika, Karen, Adriana e Alessandra se reunem na Cidade do Cabo, na África do Sul, para cozinhar. Mas não é apenas um encontro semanal entre amigas: elas cozinham para os moradores de rua da cidade.

Publicidade

Amanda Lourenço, correspondente da RFI na África do Sul

A iniciativa partiu de Safiya Barbosa, empresária de 44 anos nascida em Campo Grande, no Mato Grosso do Sul, há três anos na Cidade do Cabo. Ela criou um grupo no Facebook pedindo ajuda dos brasileiros que vivem no país e rapidamente o projeto se concretizou.

“Toda semana a gente se reúne aqui na minha casa para cozinhar. Compramos legumes, verduras, carne e pão e também pedimos doações”, conta Safiya. A brasileira explicou que a ideia surgiu durante o inverno, bastante rigoroso no último ano. “A gente começou com os cobertores, há três meses, logo depois adicionamos a sopa”, lembra.

“Esse trabalho é basicamente organizado por brasileiros. A gente atende os moradores de rua no centro de Cape Town (Cidade do Cabo). A situação deles é muito triste. Já vimos inclusive famílias com crianças. Vamos coletando roupas também, naquele jeitinho brasileiro, com o coração grande  que os brasileiros têm”, conta Safiya.

"Auto-estima faz muita diferença"

Érika Alencar, advogada santista de 30 anos, participa desde o início e diz que o projeto continua atraindo as pessoas: “Começou a aumentar cada vez mais o número de brasileiros auxiliando. Tanto com doações como também vindo e participando da preparação da sopa e da entrega”, afirma. “Pelo menos um dia eles têm a fome saciada e se esquentam do frio. Acho que essa questão da auto-estima faz muita diferença. Já teve um grupo que foi retirado da rua, um casal com uma criança conseguiu trabalho. De uma forma ou de outra, fazendo a nossa parte de pouquinho em pouquinho, com certeza podemos auxiliar muito”, assegura Érika.

O grupo de brasileiras não pretende parar por aqui e já está fazendo planos para tentar ajudar de forma mais permanente os moradores de rua: “Isso é só o começo. Vamos tentar ajudá-los a criar artesanato, a criar algo para que eles mesmo possam ter renda própria, mas isso ainda é um projeto futuro”, sonha Érika.

Trabalho gratificante

A brasileira afirma que tem sido um trabalho gratificante. “É muito bom ajudar o próximo com amor, com carinho, sem querer nada em troca e ver a satisfação no rosto das pessoas em saber que alguém ali está se preocupando, que alguém ali está pensando neles. Quem não gosta de carinho, não é? Acho que a sopa não é o alimento em si para um dia, é uma doação de amor, isso é o que é mais importante”, finaliza.
 

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.