Acessar o conteúdo principal
Papa/Vaticano

Papa canoniza sete novos religiosos no Vaticano

Mais de 80 mil fiéis participaram da cerimônia de canonização neste domingo, 16 de outubro de 2016, no Vaticano.
Mais de 80 mil fiéis participaram da cerimônia de canonização neste domingo, 16 de outubro de 2016, no Vaticano. REUTERS/Tony Gentile

O papa Francisco canonizou sete religiosos neste domingo (16), entre eles dois latino-americanos. A cerimônia solene reuniu cerca de 80.000 fiéis no Vaticano.

Publicidade

O popular padre argentino José Gabriel Brochero (1840-1914), que dedicou sua vida aos excluídos se transformou no primeiro santo da Argentina, país natal do papa Francisco. O outro santo latino-americano do dia foi o jovem mexicano José Sánchez del Río (1913-1928).

Também foram canonizados os religiosos franceses Salomón Leclercq (1745-1792) e Isabel de la Santísima Trinidad Catez (1880-1906), o espanhol Manuel González García (1877-1940) e os italianos Ludovico Pavoni (1784-1849) e Alfonso María Fusco (1839-1910). Todos foram “alçados à glória por serem exemplo de dedicação aos pobres e aos doentes, e por sacrificar a própria vida por sua fé”.

Milhares de pessoas, entre eles o presidente argentino, Mauricio Macri, e a ministra francesa da Ecologia, Ségolène Royal, assistiram à cerimônia. Depois deste domingo, Francisco se converte em um dos pontífices que mais proclamou santos em três anos de pontificado. Entre os novos santos de renome estão os papas João XXIII e João Paulo II, em 2014, e a madre Teresa de Calcutá, este ano.

Fábrica dos santos no Vaticano

Segundo as normas do Vaticano, é necessário demonstrar que o candidato intercedeu ao menos em dois milagres para que ele possa ser proclamado santo. A chamada "fábrica dos santos" é uma máquina burocrática complexa que estuda vida e os milagres atribuídos aos candidatos à honraria.

No início do ano, Francisco aprovou normas para o financiamento das causas de beatificação e canonização, uma maneira de garantir uma maior transparência depois do escândalo conhecido como Vatileaks2, no qual foram denunciadas as somas elevadas que algumas congregações religiosas gastaram para alcançar a beatificação ou a canonização de seus protetores.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.