Acessar o conteúdo principal
Poder

Do Japão, Putin comanda trégua na Síria e reforça imagem de "todo poderoso"

O presidente russo, Vladimir Putin, foi eleito pelo quarto ano consecutivo como "a personalidade mais poderosa do mundo".
O presidente russo, Vladimir Putin, foi eleito pelo quarto ano consecutivo como "a personalidade mais poderosa do mundo". Sputnik/Kremlin/Alexei Druzhinin via REUTERS

Em visita ao Japão, onde tenta estreitar as relações bilaterais, o presidente russo, Vladimir Putin, gerencia as operações de evacuação de civis e rebeldes na Síria. O líder do Kremlin declarou nesta sexta-feira (16) que a próxima etapa na Síria será "um cessar-fogo conjunto do território". Essa é mais uma entre tantas demonstrações de força da Rússia no cenário internacional.

Publicidade

Em Tóquio, Putin declarou nesta sexta-feira que Moscou está negociando um fim para a crise em Aleppo com representantes da oposição ao regime de Bashar al-Assad, com a ajuda da Turquia. "Em uma conversa telefônica com [o presidente turco Recep Tayyip] Erdogan, decidimos propor às diferentes partes do conflito um novo lugar para as negociações de paz. Pode ser a capital do Cazaquistão, Astana", declarou o chefe de Estado russo, aliado do presidente sírio Bashar al-Assad.

As decisões do presidente russo parecem ser as mais efetivas desde que a comunidade internacional começou a se mobilizar para encontrar uma saída para a guerra na Síria, que já dura cinco anos e meio. Com o poder de veto no Conselho de Segurança da ONU, Moscou já bloqueou por seis vezes consecutivas qualquer medida contra o regime sírio. Sob os olhares incrédulos e frequentes críticas dos países ocidentais, as forças russas continuaram a combater sem piedade os insurgentes sírios, com a justificativa de lutar contra o grupo Estado Islâmico na Síria.

Por isso, a retomada de Aleppo pelo regime sírio, depois de vários anos de batalhas sangrentas na cidade, também é uma vitória de Putin e seu poderio militar. O apoio dos russos foi decisivo na Síria: quando Moscou ordenou o envio de seu exército para o país, as forças de Bashar al-Assad sofriam importantes derrotas.

Iniciativas controversas de Putin trazem resultados

Agora, do Japão, o líder russo comanda e controla um desfecho para Aleppo. A próxima etapa do cessar-fogo foi anunciada por Putin antes mesmo de uma reunião marcada esta sexta-feira no Conselho de Segurança da ONU para tentar obter a mobilização de observadores internacionais e vigiar a evacuação de civis e rebeldes. Analistas começam a se perguntar se os esforços da comunidade internacional são irrisórios diante das iniciativas e do despeito do presidente russo que, apesar de controversos, trazem resultados.

Enquanto isso, Putin colhe os louros de sua irreverência. Pelo quarto ano consecutivo, ele foi eleito recentemente como a personalidade mais poderosa do mundo pela revista Forbes. O líder do Kremlin deixou para trás até mesmo Donald Trump e Angela Merkel. "De seu país natal até a Síria, passando pelas eleições americanas, o dirigente russo continua atingindo seus objetivos", afirma a publicação ao justificar sua escolha.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.