Acessar o conteúdo principal

Ataque terrorista em boate na Turquia deixa 39 mortos

Barco da polícia turca patrulha arredores da boate "Reina", no Estreito do Bósforo, palco do atentado terrorista deste 1° de janeiro de 2017.
Barco da polícia turca patrulha arredores da boate "Reina", no Estreito do Bósforo, palco do atentado terrorista deste 1° de janeiro de 2017. REUTERS/Umit Bektas

Pelo menos 39 pessoas morreram e 65 ficaram feridas durante ataque terrorista em uma boate de Istambul onde cerca de 700 pessoas celebravam o Ano Novo, segundo o governador da cidade. Não há informações sobre a presença de brasileiros entre as 15 vítimas fatais estrageiras.

Publicidade

Polícia turca isola área do atentado terrorista em Istambul, 1° de janeiro de 2017.
Polícia turca isola área do atentado terrorista em Istambul, 1° de janeiro de 2017. REUTERS/Osman Orsal

"Infelizmente, pelo menos 39 de nossos cidadãos perderam suas vidas. Um era policial. Quarenta pessoas estão sendo atendidas em hospitais", disse à imprensa local o governador Vasip Sahin, no local onde fica a boate Reina, na margem europeia do estreito de Bósforo, descrevendo o ocorrido como um "ataque terrorista".

A casa noturna, situada no lado europeu de Istambul e às margens do Bósforo, é um dos locais mais procurados pela juventude de classe alta turca, além de turistas e celebridades. Cerca de 700 pessoas estavam no local na hora do ataque.

Muitas pessoas que celebravam o Ano Novo se atiraram no Bósforo, em pânico, depois do ataque, e esforços foram mobilizados para resgatá-las das águas, acrescentou a emissora NTV. Entre as vítimas, 16 estrangeiros.

O atirador, vestido de Papai Noel, abriu fogo contra as pessoas que se encontravam na entrada da casa noturna exatamente à 1h e 15 minutos da madrugada, hora local, neste 1° de janeiro de 2017. O ministro do Interior da Turquia afirmou que "o terrorista" ainda está sendo procurado pela polícia.

Reação de Erdogan e Hollande

O presidente turco, Recep Tayyip Erdogan reiterou no domingo sua "determinação para erradicar as ameaças à Turquia". Em um comunicado oficial, ele acrescentou que o país vai lutar contra o terrorismo e exortou a nação turca a permanecer unida contra tais ataques.

"Como uma nação, nós vamos combater até o fim não apenas os ataques armados por grupos terroristas, mas também seus ataques econômicos, políticos e sociais ", declarou. "Eles estão tentando criar o caos, para desmoralizar o nosso povo e desestabilizar nosso país com esses ataques hediondos, tendo civis como alvo. Vamos manter a calma, ficaremos mais unidos e não cederemos a estes jogos doentios",  disse o presidente turco.

O presidente François Hollande reagiu ao atentado. Um comunicado oficial do Palácio do Eliseu afirmou que "o presidente condena veementemente o ato terrorista" e que "a França manifesta a sua solidariedade com a Turquia neste momento de dor e continuará impiedosamente a luta contra este flagelo [os jihadistas], junto com seus aliados".

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.