Acessar o conteúdo principal
Coreia do Norte/assassinato

Polícia da Malásia prende suspeita de matar Kim Jong-Nam

Kim Jong Nam, the older half brother of the North Korean leader Kim Jong Un, is seen in this handout picture taken on June 4, 2010, provided by Joongang Ilbo and released by News1 on February 14, 2017
Kim Jong Nam, the older half brother of the North Korean leader Kim Jong Un, is seen in this handout picture taken on June 4, 2010, provided by Joongang Ilbo and released by News1 on February 14, 2017 Joongang Ilbo/News1 via REUTERS

A polícia da Malásia anunciou nesta quarta-feira (15) a prisão de uma mulher com um passaporte vietnamita, suspeita de ter participado do assassinato do meio-irmão do líder norte-coreano Kim Jong-Un, Kim Jong-Nam. Ele teria sido envenenado no aeroporto de Kuala Lampur.

Publicidade

A mulher, detida no aeroporto, foi identificada graça às imagens das câmeras de segurança e estava sozinha no momento da prisão, de acordo com a polícia da Malásia. Vários veículos do país já haviam transmitido imagens de uma jovem usando uma camiseta branca, com a palavra “LOL”. Nos documentos apresentados à polícia, o nome da jovem é Doan Thi Huong, nascida em 1998 no Vietnã.

Kim Jong-Nam, que estava embarcando para Macao, foi atacado nesta segunda-feira (13) no hall de embarque. O autor do crime segurou sua cabeça e espirrou líquido em seu rosto. Ele pediu ajuda e em seguida desmaiou. Sua morte por parada cardíaca, aconteceu durante a transferência para o hospital, declarou a polícia da Malásia. A polícia ainda está fazendo a autópsia do corpo do meio-irmão do líder norte-coreano.

De acordo com parlamentares sul-coreanos, Kim Jong-Nan beneficiava da proteção de Pequim e vivia exilado em Macao com sua segunda mulher. Filho de King Jong II com uma atriz, ele seria o primeiro na linha da sucessão, mas caiu em desgraça depois de ser preso em 2001 com um passaporte falso da República Dominicana. Ele disse na época que queria visitar a Disneylândia.

Depois do incidente, ele se exilou com sua família em Macao, Cingapura e China. No fim do reinado de seu pai, Kim Jong-Nam deu declarações sobre a incapacidade de seu meio-irmão em governar o país, quando ele chegou ao poder em 2011. No final de 2012, ele escreveu para Kim Jong-Un implorando que sua vida, e a de sua família, fossem poupadas.

Morte só pode ter sido ordem de Kim Jong-Un, diz pesquisador sul-coreano

Para o pesquisador Cheong Seong-Jang, do Instituto Sejong, de Seul, é impensável que uma morte como essa possa ter sido cometida sem uma ordem direta do líder norte-coreano. A morte foi motivada pela intenção de Jong-Nam de pedir asilo na Europa ou Estados Unidos.

“Se for confirmado o envolvimento do regime norte-coreano na morte de Kim Jong-Nam, isso ilustrará a brutalidade e a falta de humanidade do regime de Kim Jong-Un”, disse o primeiro-ministro sul-coreano, Hwang Kyo-ahn, durante uma coletiva de imprensa.
 

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.