Acessar o conteúdo principal

Líder da Coreia do Norte "será colocado à prova como nunca", diz Trump

Na ONU, o presidente Donald Trump disse que vai destruir Coreia do Norte se "não tiver escolha".
Na ONU, o presidente Donald Trump disse que vai destruir Coreia do Norte se "não tiver escolha". REUTERS/Kevin Lamarque

"O norte-coreano Kim Jong-un, que é obviamente um louco, que não liga de matar de fome seu povo, será colocado à prova como nunca antes ", escreveu o presidente norte-americano em seu Twitter nesta sexta-feira (22), no dia seguinte à assinatura de um decreto que prepara o caminho para aumentar as sanções dos EUA sobre a Coreia do Norte.

Publicidade

Em uma declaração pública rara, Kim Jong-un prometeu medidas "radicais" e "históricas" em resposta às ameaças de "destruição total" lançadas por Donald Trump na terça-feira (19), diante da Assembléia Geral das Nações Unidas.

Em uma rara declaração pública divulgada nesta sexta-feira (22) pela imprensa oficial norte-coreana, Kim Jong-un chamou Trump de "desequilibrado" e disse que suas ameaças representam "a mais feroz declaração de guerra da história". Ele afirmou ainda que o presidente dos Estados Unidos "pagará caro" por seu discurso pronunciado na ONU. Para Kim Jong-un, Trump é mais um "bandido, um gângster que gosta de brincar com fogo do que um líder político".

Segundo o chanceler da Coreia do Norte, uma das represálias avaliadas pelo regime de Pyongyang é a possibilidade de um teste no Oceano Pacífico com uma potente bomba de hidrogênio. O governo japonês diz que o comentário do líder norte-coreano é "inaceitável" e "deve ser levado à sério". A China pediu para a Coreia do norte não persistir em um "caminho perigoso".

“Histeria militar”

O líder norte-coreano, Kim Jong-Un, disse nesta sexta-feira que o presidente americano, Donald Trump, tem um "transtorno mental", e advertiu que "pagará caro" pelas ameaças feitas contra seu país na ONU.
O líder norte-coreano, Kim Jong-Un, disse nesta sexta-feira que o presidente americano, Donald Trump, tem um "transtorno mental", e advertiu que "pagará caro" pelas ameaças feitas contra seu país na ONU. KCNA via REUTERS

O Kremlin disse também nesta sexta-feira que estava "profundamente preocupado" com a "escalada de tensões" na península norte-coreana, após as últimas trocas de "ameaças" entre Donald Trump e Kim Jong-Un. "Moscou está, sem dúvida, profundamente preocupada com a escalada das tensões na península coreana, ligada à troca de declarações bastante grossas e ameaçadoras entre os dois presidentes”, disse o porta-voz da imprensa do Kremlin, Dmitri Peskov, pedindo mais uma vez "contenção".

"Moscou continua convencido de que não há outra solução senão uma resolução política e diplomática do problema norte-coreano", afirmou. "Qualquer outro resultado pode ter consequências muito indesejáveis ​​e mesmo catastróficas", completou o porta-voz. Kim Jong-Un chamou Donald Trump de homem "mentalmente perturbado" que pagará "muito caro" por suas ameaças contra a Coreia do Norte, algumas horas depois que Washington anunciou um fortalecimento das sanções contra Pyongyang.

Donald Trump chamou o líder norte-coreano de "homem-foguete" na tribuna das Nações Unidas e ameaçou a Coreia do Norte de "destruição total". “Brandir a histeria militar na crise nuclear da Coreia do Norte leva não só ao impasse, mas também à catástrofe", declarou o chanceler russo, Sergei Lavrov, à Assembléia Geral da ONU na quinta-feira (21).

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.