Acessar o conteúdo principal
Filipinas/Ano Novo

Acidentes com fogos de artifício deixam mais de 200 feridos nas Filipinas

Habitantes em Manila soltam fogos de artifício para comemorar Ano Novo
Habitantes em Manila soltam fogos de artifício para comemorar Ano Novo (Foto: Reuters)

Cerca de 200 pessoas ficaram feridas em acidentes com fogos de artifício durante a festa de Ano Novo nas Filipinas, neste domingo (31), apesar das medidas anunciadas recentemente pelo governo que visam restringir sua utilização.

Publicidade

O país é formado em sua grande maioria por católicos, mas superstições antigas e tradições chinesas influenciam o comportamento dos filipinos. Segundo a tradição, o barulho nas festas de final de ano espanta os maus espíritos, o que explica a quantidade de fogos de artifício, rojões e tiros para o alto nas festas de Reveillon.

O presidente filipino, Rodrigo Duterte, assinou um decreto em junho estipulando que os rojões só poderiam ser utilizados em locais reservados pelas autoridades locais e sob a supervisão de pessoas treinadas.

Forte queda

De acordo com o ministro da Saúde Francisco Duque, em 2018 houve uma baixa de 77% em relação ao número de feridos em 2017. “Estamos felizes com essa queda, mas nosso objetivo final é abolir totalmente os fogos”. Na virada de 2016, os incidentes deixaram 2 mortos e mais de 300 feridos. Muitos hospitais receberam pessoas com membros amputados.

O ministro explicou que a maioria dos acidentes aconteceu nas ruas da capital, Manila, principalmente com bombas artesanais ilegais do tamanho de um fósforo.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.