Acessar o conteúdo principal
Coreia do Sul / Coreia do Norte / Kim Jong-Un /Geopolítica

Cúpula Intercoreana terá organização mega detalhista e até banheiro secreto de ditador

Policiais sul-coreanos sobre a grande ponte da unificação que leva ao local da cúpula intercoreana (26 de abril 2018)
Policiais sul-coreanos sobre a grande ponte da unificação que leva ao local da cúpula intercoreana (26 de abril 2018) REUTERS/Kim Hong-Ji

No encontro histórico entre o líder da Coreia do Norte, Kim Jong-un, e o presidente sul-coreano, Moon Jae-in, não há espaço para o improviso. Todos os aspectos protocolares e de segurança foram revistos. O evento acontecerá em um edifício localizado na margem sul da fronteira militarizada.

Publicidade

Os dois líderes se reunirão nesta sexta-feira (27) na linha de demarcação militar que divide a península. Quando Kim cruzar a fronteira, será o primeiro líder norte-coreano a entrar no sul desde a Guerra da Coreia, há 65 anos.

Kim Jong-un atravessará a linha a pé e será recebido por Moon Jae-in e ambos serão escoltados até a Casa da Paz, onde foi assinado o armistício de 1953.

Interior da Casa da Paz onde irá acontecer a cúpula intercoreana.
Interior da Casa da Paz onde irá acontecer a cúpula intercoreana. Yonhap via REUTERS

A presidência em Seul anunciou ainda que Yo Jong, irmã de Kim Jong Un, fará parte da delegação de Pyongyang, assim como o chefe de Estado norte-coreano, Kim Yong Nam.

Símbolos

A cúpula entre Kim Jong-un et Moon Jae-in será recheada de detalhes. No jantar, um prato suíço, o “rosti” será preparado para o líder norte-coreano em lembrança à juventude passada no país europeu. Um macarrão asiático frio, especialidade de Pyongyang, será servido aos dois dirigentes, e para a sobremesa, um doce no formato da península reunificada.

No jardim, um pinheiro será plantado com uma mistura de terra vinda do norte e do sul. A árvore será regada com a água de um rio que atravessa as capitais das duas Coreias.

Banheiro particular

Kim Jong-un deve levar seu próprio banheiro para o encontro: segundo um antigo guarda-costas norte-coreano ouvido pelo jornal Washington Post, "os excrementos podem conter informações sobre seu estado de saúde e não devem ser deixados para trás".

Arsenal Nuclear

Essa será a terceira reunião intercoreana, após os encontros celebrados em Pyongyang em 2000 e 2007, e marca um ponto de inflexão após a aproximação diplomática que se seguiu a um período de alta tensão na península.

Depois da cúpula de sexta-feira, Kim se reunirá com o presidente americano, Donald Trump, em local e data ainda não definidos. O tema do arsenal nuclear de Pyongyang estará no centro da agenda, após o país obter um rápido progresso em sua tecnologia atômica sob o mandato de Kim, que herdou o poder de seu pai em 2011.

Os norte-coreanos também desenvolveram mísseis balísticos capazes de atingir o território americano, o que acrescentou tensão entre Kim e Trump. Os Jogos Olímpicos de Inverno em Pyeongchang, no Sul, marcaram o início de uma distensão palpável.

No último sábado (21), Kim anunciou uma moratória nos testes nucleares e nos lançamentos de mísseis balísticos de longo alcance, afirmando que já cumpriram com seus objetivos

Com informações da AFP e do correspondente da RFI em Seul, Frédéric Ojardias.

Newsletterselfpromo.newsletter.text

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.