Acessar o conteúdo principal

Ataque suicida deixa dezenas de mortos no Afeganistão, após cessar-fogo inédito

Ferido é atendido em hospital em Jalalabad, no Afeganistão, após atentado em 16 de junho de 2018.
Ferido é atendido em hospital em Jalalabad, no Afeganistão, após atentado em 16 de junho de 2018. REUTERS/Parwiz

Pelo menos 20 pessoas morreram neste sábado (16) quando um suicida ateou fogo em si mesmo em meio a vários talibãs, integrantes das forças de segurança e civis que celebravam um inédito cessar-fogo, informaram fontes do governo afegão.

Publicidade

Dezesseis pessoas ficaram feridas no ataque, que aconteceu no distrito de Rodat, na província de Nangarhar, leste do país, segundo o porta-voz do governador provincial, Attaullah Khogyani. O atentado ainda não foi reivindicado, mas uma fonte da segurança afegã afirmou que o grupo Estado Islâmico (EI) era o responsável.

Trata-se do primeiro ataque desde a entrada em vigor, na sexta-feira (15), de um cessar-fogo de três dias anunciado pelo Talibã por ocasião do fim do Ramadã. Por sua vez, as forças do governo declararam um cessar-fogo desde a última terça-feira de oito dias com relação aos talibãs.

O ataque ocorreu pouco antes de o presidente afegão, Ashraf Ghani, anunciar a extensão da duração do cessar-fogo do governo e pedir aos talibãs que fizessem o mesmo. "Eu anuncio uma prorrogação do cessar-fogo" além da data planejada, declarou ele, afirmando que os detalhes seriam divulgados posteriormente.

"Também peço ao Talibã que prolongue seu cessar-fogo", que deveria terminar no domingo. O fim dos combates resultou, na sexta-feira (15) e neste sábado (16), em cenas incomuns de confraternização entre o Talibã e as forças de segurança afegãs, que foram vistos se abraçando e tirando fotos.

“Cansados de guerra”

No distrito de Bati Kot, em Nangarhar (leste), combatentes do Talibã com armas e granadas passeavam em carros e motos, agitando bandeiras talibãs e afegãos. Os agentes do governo de guarda em postos de controle felicitavam os talibãs com abraços e fotos, uma cena impensável há poucos dias.

Moradores locais também cercavam os combatentes, fazendo selfies e abraçando-os, celebrando o fim do Ramadã, o mês do jejum sagrado muçulmano."Estou aqui para parabenizar nossos irmãos da polícia e do exército", declarou o comandante do Talibã, Baba.

"Conseguimos manter o cessar-fogo até agora. Todo mundo está cansado da guerra e se nossos líderes nos pedirem para que continuemos com o cessar-fogo, vamos mantê-lo para sempre", acrescentou.

Newsletterselfpromo.newsletter.text

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.