Acessar o conteúdo principal
Mianmar

Exército de Mianmar devolve crianças-soldado para suas famílias

O uso de crianças como soldados pelo Exército é um tabu em Mianmar
O uso de crianças como soldados pelo Exército é um tabu em Mianmar REUTERS

O governo de Mianmar (antiga Birmânia) informou que 75 crianças, recrutadas à força pelo Exército do país, foram devolvidas nessa sexta-feira (31). O anúncio representa um gesto positivo dos esforços das autoridades locais para acabar com o fenômeno das crianças-soldado na região. Mas a prática ainda está longe de ser erradicada.

Publicidade

Eliza Hunt, correspondente da RFI em Rangum

Em seis anos, desde que um acordo foi assinado entre as Nações Unidas e o governo birmanês, 924 crianças puderam deixar o Exército. No entanto, o compromisso não impediu que outros menores continuassem sendo recrutados, alerta a ONU.

Essas crianças-soldado são usadas pelo Exército birmanês, mas também por sete grupos rebeldes que se enfrentam em confrontos étnicos, nos estados de Kachin (norte) e Shan (nordeste). A ONU também chama a atenção para a situação no estado de Arakan (sudoeste), onde a minoria muçulmana Rohingyas é alvo de ataques.

No ano passado, 47 garotos foram usados pela polícia para transportar equipamentos e garantir a segurança em acampamentos na região. Também há registros de crianças sendo usadas como combatentes pela própria minoria.

O recrutamento desses menores é um assunto sensível em Mianmar. Uma ex-criança-soldado foi condenada recentemente a dois anos de prisão por ter contado sua história a jornalistas.

Newsletterselfpromo.newsletter.text

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.