Acessar o conteúdo principal
Coreia do Norte/ Mísseis

Coreia do Norte lança mísseis de curto alcance no Mar do Japão

Coreia do Norte lança dois mísseis de curto alcance
Coreia do Norte lança dois mísseis de curto alcance Jung Yeon-je / AFP

A Coreia do Norte realizou nesta quinta-feira (25) dois disparos de mísseis de curto alcance que caíram no Mar do Japão, segundo fontes de Estados Unidos e Coreia do Sul, em mais um capítulo da tensão regional.

Publicidade

Segundo o Estado-Maior das Forças Armadas da Coreia do Sul, os projéteis disparados por Pyongyang foram, definitivamente, mísseis de curto alcance.

Um dos dispositivos lançados voou mais de 430 quilômetros, enquanto o outro percorreu 690 quilômetros. Este último foi "um novo tipo" de míssil que o Estado-Maior sul-coreano jamais havia visto, segundo uma autoridade de Seul, que citou uma análise dos serviços de inteligência da Coreia do Sul e dos Estados Unidos.

Pouco antes, um oficial do Estado-Maior sul-coreano destacou que "não está claro se o líder norte-coreano Kim Jong Un supervisionou pessoalmente os lançamentos".

A mesma fonte acrescentou que analistas sul-coreanos e americanos já começaram a estudar os dados sobre o lançamento.

O Estado-Maior das Forças Armadas sul-coreanas, citado pela agência de notícias Yonhap, informou que o regime norte-coreano "disparou um projétil não identificado às 5H34 AM e outro às 5H57 (da madrugada de quinta-feira) das áreas de Wonsan para o Mar do Leste e ambos voaram cerca de 430 quilômetros (267 milhas)".

"Nosso exército está monitorando a situação em caso de lançamentos adicionais e permanece em alerta", informou a Yonhap, citando o Estado-Maior.

Tensões militares

O porta-voz do ministro sul-coreano de Defesa, Choi Hyun-soo, formulou um apelo à Coreia do Norte para que "interrompa as ações que não ajudam a dissipar as tensões militares".

Segundo o ministro japonês da Defesa, Takeshi Iwaya, os disparos efetuados pela Coreia do Norte que caíram no Mar do Japão, são "extremamente lamentáveis".

"Tratam-se de mísseis balísticos, isso viola resoluções da ONU. Estes casos recentes de lançamento de projéteis são extremamente lamentáveis", disse o ministro à imprensa, referindo-se aos projéteis como de médio alcance.

Os disparos desta quinta ocorrem em um contexto marcadamente tenso entre Pyongyang e Seul devido à iminente realização de manobras militares conjuntas entre Coreia do Sul e Estados Unidos.

No dia 17 de julho, a Coreia do Norte advertiu a Coreia do Sul e os Estados Unidos de que a realização destes exercícios teria repercussões na disposição de Pyongyang de manter canais de diálogo com Washington por seu programa de armas.

Assim, o governo norte-coreano admitiu a possibilidade de anular a moratória que adotou sobre testes balísticos e nucleares.

Estados Unidos e Coreia do Sul realizam manobras militares conjuntas todos os anos, mas os exercícios previstos para as próximas semanas foram reduzidos drasticamente para não aumentar a tensão regional.

No dia 9 de maio, Pyongyang disparou um míssil de curto alcance que o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, considerou "uma coisa muito normal" e que não afetaria as relações com o líder norte-coreano Kim Jong Un.

Ambos concordaram em retomar o diálogo em uma reunião inesperada em 30 de junho na zona desmilitarizada que separa as duas Coreias.

(AFP)

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.