Acessar o conteúdo principal
EUA/Irã

Para encontro com Trump, EUA têm que acabar com sanções, diz presidente do Irã

O presidente iraniano Hassam Rohani afirmou nesta terça-feira que cabe aos EUA darem o primeiro passo para renegociar o acordo nuclear, retirando as sacões internacionais americanas contra o país.
O presidente iraniano Hassam Rohani afirmou nesta terça-feira que cabe aos EUA darem o primeiro passo para renegociar o acordo nuclear, retirando as sacões internacionais americanas contra o país. REUTERS/Abdullah Dhiaa Al-Deen/File Photo

O presidente do Irã, Hassan Rohani, pediu nesta terça-feira (27) ao governo dos Estados Unidos que dê o primeiro passo com a retirada de todas as sanções contra seu país. A proposta foi feita no dia seguinte do presidente americano considerar possível uma reunião com o colega iraniano. A declaração de Donald Trump ocorreu após o encerramento do G7, na segunda-feira (26).

Publicidade

Rohani insistiu que "a chave para uma mudança positiva está nas mãos de Washington", porque o Irã já descartou fazer o que mais preocupava os americanos: produzir uma bomba atômica.

O ministro das Relações Exteriores do Irã, Mohammad Javad Zarif, está ainda mais cético do que o presidente do país. Em visita à Ásia, o chanceler disse ter assinalado, durante sua visita surpresa à cúpula de Biarritz nesse domingo (25), que um encontro entre os dois líderes seria inimaginável enquanto Washington não reintegrar acordo internacional sobre o nuclear iraniano.

A tensão entre os Estados Unidos e a República islâmica se acirrou nos últimos meses, após a retirada uniliteral de Trump do pacto, assinado em 2015. Logo em seguida, em 2018, o governo americano impôs fortes sanções contra Teerã. Em reação, o Irã começou a descumprir termos do acordo e voltou a enriquecer urânio, em junho passado.

Uma leve distensão foi sentida durante a cúpula do G7, realizada entre os dias 24 e 26 de agosto, em Biarritz, na França.

Trump favorável a um encontro

O presidente francês Emmanuel Macron falou durante a coletiva de imprensa de encerramento da cúpula, nessa segunda-feira, que tinha "criado as condições para um encontro" entre os dois dirigentes. Questionado pelos jornalistas, Donald Trump disse estar pronto para encontrar seu colega iraniano Hassan Rohani. “Se as circunstâncias forem propícias, eu certamente concordo em encontrá-lo", declarou o americano.

O presidente dos Estados Unidos afirmou ainda que era realista considerar uma reunião com Rohani nas próximas semanas. "Acho que ele vai querer se encontrar. Acho que o Irã quer consertar essa situação", enfatizou.

Rohani defendeu a visita de Zarif a Biarritz em um discurso transmitido na televisão estatal iraniana na segunda-feira. "Acho que devemos usar todos os instrumentos para atender aos interesses nacionais", afirmou. Mas hoje, resolveu impor condições e pediu o fim de todas as sanções americanas para poder negociar.

Em Biarritz, Macron pediu ao governo dos EUA que oferecesse algum tipo de alívio às sanções contra o Irã, como o fim da proibição da venda de petróleo para a China e a Índia, ou uma nova linha de crédito para exportações. Em troca, o Irã cumpriria novamente os compromissos de 2015. "A França fará sua parte com a Alemanha, a Grã-Bretanha" e os outros países signatários do acordo internacional de 2015, concluiu Macron.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.