Acessar o conteúdo principal
Hagibis/mortes

Furação Hagibis mata 26 pessoas no Japão

O distrito de Shibata (Miyagi), neste domingo (13), após passagem do Hagibis.
O distrito de Shibata (Miyagi), neste domingo (13), após passagem do Hagibis. CHARLY TRIBALLEAU / AFP

Pelo menos 14 pessoas morreram depois que o devastador tufão Hagibis passou pelo Japão, e nove outras ainda estavam desaparecidas neste domingo (13), segundo as autoridades, enquanto bombeiros e soldados estavam ajudando os moradores presos pelas numerosas inundações. A imprensa japonesa fala em 26 mortos.

Publicidade

A tempestade, acompanhada de chuvas de intensidade sem precedentes, semeou desolação ao passar pelo centro e leste do Japão entre sábado à noite e domingo de manhã, deixando casas inundadas, deslizamentos de terra e rios transbordando.

Na região de Nagano (centro), houve inundações significativas. Um dique cedeu, deixando caminho livre para as águas do rio Chikuma, em uma área residencial onde as casas foram inundadas.

O governo mobilizou 27.000 soldados das Forças de Autodefesa para operações de resgate.

A rede pública de televisão NHK mostrou um de seus helicópteros transportando vários habitantes isolados nos telhados.

Em Kawagoe, noroeste de Tóquio, os salva-vidas retiraram um grupo de idosos, alguns em cadeiras de rodas, de um lar de idosos por barco, segundo a AFP.

Cerca de 7,3 milhões de japoneses receberam orientação - de cumprimento não obrigatório - de deixarem suas casas após níveis recordes de chuvas. Milhares de pessoas foram acolhidas em ginásios ou grandes espaços, onde receberam comida, água e cobertores.

A intensidade "sem precedentes" de chuvas fez com que a Agência Meteorológica do Japão (JMA) emitisse seu nível máximo de alerta de chuvas, reservado para situações de possível catástrofe.

Ventos e mortes

Hagibis chegou ao sábado acompanhado por rajadas de vento de até 200 km/h, segundo a JMA. Já antes de tocar em terra, Hagibis causou uma morte no sábado na região de Chiba (na periferia leste de Tóquio), onde o corpo de um homem foi encontrado morto em um caminhão capotado.

O saldo aumentou com a passagem da maior parte da tempestade, que reivindicou vidas na região de Tóquio, no centro e no nordeste do país.

Um cargueiro com bandeira panamenha foi destruído na noite de sábado na Baía de Tóquio, causando pelo menos uma vítima entre os membros da tripulação. Quatro outros foram resgatados, mas sete continuam desaparecidos.

O governo informou no domingo pelo menos nove pessoas desaparecidas no país e 140 feridas. Mais de 160.000 casas ficaram sem energia na tarde de domingo, de acordo com a NHK.

Eventos esportivos afetados

O tufão também forçou a modificar a organização de duas competições esportivas realizadas no Japão.

As sessões classificatórias do Grande Prêmio de Fórmula 1 disputadas em Suzuka (centro) foram adiadas de sábado para domingo, e três partidas da Copa do Mundo de Rúgbi (França-Inglaterra e Nova Zelândia-Itália marcada para sábado e Namíbia-Canadá de Domingo) foram canceladas. Por outro lado, a decisiva partida Escócia-Japão deste domingo, que corria o risco de ser cancelada, será finalmente jogada como planejado.

O tufão também paralisou o transporte na grande região de Tóquio, em um longo fim de semana devido ao feriado de segunda-feira.

As ligações aéreas, de trem e as linhas de metrô foram suspensas no sábado. O Japão geralmente é atingido todos os anos por cerca de vinte tufões. Antes de Hagibis, Faxai deixou pelo menos dois mortos em setembro e causou danos significativos em Chiba.
 

 

(com informações da AFP)

Newsletterselfpromo.newsletter.text

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.