Acessar o conteúdo principal
Ciclone/Índia

Ciclone Bulbul deixa mortos e desabrigados na Índia e Bangladesh

O ciclone Bulbul provocou ventos de até 120 km/h na Índia e em Bangladesh
O ciclone Bulbul provocou ventos de até 120 km/h na Índia e em Bangladesh (Foto: MUNIR UZ ZAMAN / AFP)

Com ventos violentos de até 120km/h e chuvas torrenciais, o ciclone Bulbul atingiu, neste domingo (10), parte de Bangladesh e da Índia, deixando pelo menos 14 mortos e obrigando dois milhões de pessoas a passar a noite em abrigos disponibilizados pelas autoridades.

Publicidade

O ciclone chegou à região no sábado (9) à noite, provocando o fechamento de portos e aeroportos. Em Calcutá, na Índia, uma pessoa morreu atingida por uma árvore e outra em decorrência do desabamento de um muro no Estado de Odisha. Em Banglasdesh, várias pessoas foram vítimas da queda de árvores provocada pela ventania. Quatro mil casas foram destruídas na região.

A intensidade do fenômeno diminuiu à medida que ele entrava no território, provocando em seguida as inundações, explicou a responsável do serviço de meteorologia, Ayesha Khatun. Segundo ela, os mangues protegeram parcialmente a costa do impacto da tempestade.

Turistas ficam bloqueados em Saint-Martin

Mais de dois milhões de pessoas em Bangladesh foram evacuadas e instaladas em cerca de 5.500 abrigos especiais. Aproximadamente 1.500 turistas ficaram bloqueados na ilha de Saint Martin, na baía de Bengala, onde os serviços marítimos foram interrompidos. Na Índia, cerca de 60.000 pessoas tiveram que deixar suas casas e os voos previstos no aeroporto de Kolkata foram suspensos durante 12 horas.

Bangladesh é um país situado a menos de 12 metros acima do nível do mar e regularmente atingido por ciclones. Nas últimas décadas, centenas de pessoas morreram vítimas de catástrofes similares. Entretanto, as autoridades melhoraram sua capacidade de antecipar as tragédias. Em 2007, o ciclone Sidr deixou mais de 3.000 mortos.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.