Acessar o conteúdo principal
Israel/ataques

Israel volta a bombardear a Jihad Islâmica na Faixa de Gaza

Israel voltou a bombardear as posições da facção Jihad Islâmica nesta sexta-feira (15).
Israel voltou a bombardear as posições da facção Jihad Islâmica nesta sexta-feira (15). AFP/BASHAR TALEB

Israel bombardeou nesta sexta-feira (15) as posições da Jihad Islâmica na Faixa de Gaza, rompendo o acordo de cessar-fogo obtido na quinta-feira (14). O anúncio foi feito nesta manhã pelo Exército israelense.

Publicidade

O comunicado do Exército condena "a violação do cessar-fogo e os foguetes lançados contra Israel", e afirma que vai "intervir, quando necessário, contra qualquer tentativa de atingir os civis israelenses". O bombardeio deixou ao menos dois feridos, que foram hospitalizados no sul do enclave, segundo o ministério da Saúde de Gaza.

Na quinta-feira, o Exército havia informado o disparo de cinco foguetes da Faixa de Gaza contra o território israelense, após o Estado hebreu e o movimento Jihad Islâmica anunciarem um acordo de cessar-fogo para acabar com os confrontos na região, que deixaram pelo menos 34 palestinos mortos em dois dias.

O acordo entrou em vigor às 5h30 (0H30 de Brasília) de quinta, após os esforços do Egito, e obteve o aval das facções palestinas, incluindo a Jihad Islâmica. Ele estipulava a deposição das armas na Faixa de Gaza e a manutenção da paz nas manifestações contra o bloqueio de Israel e a favor do retorno dos refugiados palestinos ao seu território.

Manifestações já deixaram mais de 300 mortes

Israel se comprometeu a suspender os bombardeios e "garantir um cessar-fogo" nas manifestações da "marcha do retorno", que já registraram mais de 300 mortes e milhares de feridos na Faixa de Gaza.Um oficial israelense havia confirmado à imprensa que o Exército suspenderia sua operação contra a Faixa de Gaza caso a Jihad Islâmica parasse com o disparo de foguetes em direção a Israel.

No entanto, durante a manhã, o Exército israelense informou que "cinco projéteis foram lançados de Gaza para Israel" e indicou que o sistema de defesa da Cúpula de Ferro interceptou dois deles.

(Com informações da AFP)

Newsletterselfpromo.newsletter.text

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.