Acessar o conteúdo principal
Coreia do Norte/teste

Coreia do Norte confirma "superioridade militar" em teste com lançador de míssil

O líder norte-coreano, Kim Jong Un, supervisionou na quinta-feira um novo teste de um "lançador múltiplo de mísseis de grandes dimensões", informou a agência oficial KCNA, insinuando que pode ter sido o último de este tipo.
O líder norte-coreano, Kim Jong Un, supervisionou na quinta-feira um novo teste de um "lançador múltiplo de mísseis de grandes dimensões", informou a agência oficial KCNA, insinuando que pode ter sido o último de este tipo. REUTERS/Kim Hong-Ji

O líder norte-coreano, Kim Jong Un, supervisionou o novo teste de um "lançador múltiplo de mísseis de grandes dimensões” nesta quinta-feira (28), Dia de Ação de Graças nos Estados Unidos. A informação foi divulgada pela agência oficial norte-coreana, KCNA. 

Publicidade

O teste, destinado a avaliar as capacidades do sistema, "demonstrou a superioridade militar e técnica deste sistema de armas e sua sólida confiabilidade", afirmou a agência norte-coreana. No comunicado, Kim Jong Un expressou "sua profunda satisfação." O teste representa um grande avanço em comparação com o de setembro, quando a agência norte-coreana afirmou que ainda era necessário “o ajuste de alguns pontos”.

Os termos usados pela agência de notícias também sugerem que o teste "poderia ser o último" de um grande lançador de mísseis múltiplos, explicou Rachel Minyoung Lee, analista do NK News, um site americano com sede em Seul que divulga informações e análises sobre Coreia do Norte.

"A Coreia do Norte tem armas suficientes para realizar testes este ano e em 2020, se deseja", completou. Este foi o quarto teste de um lançador múltiplo de mísseis de grandes dimensões realizado desde agosto. Pyongyang também disparou outros projéteis nos últimos meses para pressionar Washington. O primeiro-ministro japonês, Shinzo Abe, afirmou que os disparos de mísseis balísticos representam um "desafio" para a comunidade internacional.

Negociações interrompidas

Após a grande distensão registrada em 2018 na península, as negociações entre Estados Unidos e Coreia do Norte estão paralisadas desde o fiasco da segunda reunião entre Donald Trump e Kim Jong Un, que aconteceu em fevereiro, em Hanói, no Vietnã. As relações entre os norte-coreanos e os vizinhos do Sul asiático também se deterioraram nos últimos tempos.

No último dia 21 de novembro, o líder norte-coreano, Kim Jong Un, rejeitou um convite do presidente sul-coreano, Moon Jae-in, para uma reunião de cúpula regional, o que ilustra o relacionamento ruim entre os dois países no momento. A Coreia do Sul receberá um encontro de líderes do sudeste asiático no porto de Busan a partir da próxima segunda-feira (2).

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.