Acessar o conteúdo principal
India

Protestos contra ‘lei da nacionalidade’ se multiplicam na Índia

Manifestantes correm para escapar do gás lacrimogêneo disparado durante o protesto contra a nova lei de cidadania em Nova Délhi em 15 de dezembro de 2019.
Manifestantes correm para escapar do gás lacrimogêneo disparado durante o protesto contra a nova lei de cidadania em Nova Délhi em 15 de dezembro de 2019. REUTERS/Adnan Abidi

As manifestações continuam no nordeste do país contra a nova lei de cidadania, no coração dos confrontos. Todos os partidos da oposição clamam por resistência a essa lei, que promove o acolhimento de hindus de países vizinhos e que é considerada islamofóbica e contrária à Constituição laica do país.

Publicidade

Sébastien Farcis, correspondente da RFI em Nova Délhi

Os indianos estão cada vez mais irritados e os protestos contidos até agora nos estados do nordeste da Índia se inflamam em parte de Bengala.

Grupos de manifestantes bloquearam estradas e ferrovias neste domingo (15), levando a polícia indiana a cortar a internet em parte da região.

A chefe do governo de Bengala é um dos mais fortes opositores do partido nacionalista hindu em Nova Délhi. Ela e outros quatro líderes regionais dizem que não aplicarão essa lei em seus respectivos estados.

Na capital, os protestos continuam em torno da universidade muçulmana de Jamia, enquanto no estado de Assam, epicentro da revolta, o sindicato estudantil, que se opõe a essa regularização dos imigrantes hindus proposta pela ‘lei da nacionalidade’, afirma que organizará protestos diários por mais uma semana.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.