Acessar o conteúdo principal
Estados Unidos x Irã

Trump endurece sanções contra Irã mas diz querer “paz”

Presidente Donald Trump discurso na Casa Branca, ao lado do alto escalão do Pentágono. (08/01/2020)
Presidente Donald Trump discurso na Casa Branca, ao lado do alto escalão do Pentágono. (08/01/2020) REUTERS/Kevin Lamarque

O presidente americano, Donald Trump, anunciou nesta quarta-feira (8) novas sanções econômicas contra o Irã, mas se disse "pronto para a paz". Na véspera, Teerã realizou ataques contra uma base utilizada por soldados americanos no Iraque, sem deixar vítimas.

Publicidade

"Em resposta à agressão iraniana, os Estados Unidos vão impor imediatamente sanções econômicas adicionais contra o regime iraniano", declarou Trump, durante um aguardado discurso na Casa Branca.

O republicano assegurou que nenhum americano ficou ferido no bombardeio iraniano, promovido em represália ao assassinato, na sexta-feira (3), do general da Gurda Revolucionária do Irã Qassem Soleimani. Vinte e dois misseis foram disparados sobre bases iraquianas que abrigam soldados dos Estados Unidos.

Resposta sem mortes

Fontes americanas e europeias que tiveram acesso a informações secretas iranianas afirmam que a intenção de Teerã não era causar mortes no ataque, mas sim fazer uma advertência. Com isso, a república islâmica buscaria evitar uma escalada no conflito, ao mesmo tempo em que não deixa o assassinato de Soleimani passar em branco. Sem entrar em detalhes, Trump elogiou o fato de que "parece que o Irã está recuando".

Em seu discurso, feito ao lado de integrantes do alto escalão do Pentágono, o presidente americano disse que os Estados Unidos “estão prontos para a paz” com quem quiser o mesmo. Os comentários foram comemorados pelos mercados financeiros, que temiam que Trump escolhesse uma resposta militar ainda mais forte contra o Irã.

Na sequência das declarações, a cotação do barril do petróleo caiu, depois de vários dias de alta, e as bolsas europeias se encerraram em alta, na expectativa de uma desescalada no conflito. Nos últimos dias, a morte de Soleimani chegou até a alimentar os temores de uma Terceira Guerra Mundial.

Trump também fez um apelo aos europeus para que deixem o acordo nuclear iraniano – que líderes do bloco têm tentado salvar a todo o custo – e pediu à Otan que se envolva "muito mais" no Oriente Médio.

Putin e Erdogan pedem cautela

Em Istambul para a inauguração de um gasoduto que liga a Rússia à Turquia, os presidentes turco, Recep Tayyip Erdogan, e russo, Vladimir Putin, exortaram os Estados Unidos e o Irã a “se conterem” para baixar as tensões no Oriente Médio. “Afirmamos nosso compromisso em desmanchar as tensões na região e pedimos a todas as partes a agirem com cautela e bom senso e a darem prioridade à diplomacia”, diz um comunicado conjunto dos dois presidentes.

O texto indica que a operação que matou Soleimani “é um ato que abala a segurança e a estabilidade da região”.

Com informações da Reuters e da AFP

Newsletterselfpromo.newsletter.text

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.