Acessar o conteúdo principal
Linha Direta

Clima caótico provoca náuseas e tosse em atletas no 1° dia do Aberto de Tênis da Austrália

Áudio 04:16
O tenista Novak Djokovic durante a partida contra o alemão Jan-Lennard Struff
O tenista Novak Djokovic durante a partida contra o alemão Jan-Lennard Struff (Foto: Reuters)

Temporal e até chuva de granizo trouxeram alívio momentâneo para os incêndios no estado de Vitória, mas a qualidade do ar e previsão de calor na cidade de Melbourne ainda causam preocupação para os organizadores do Aberto de Tênis da Austrália, o primeiro Grand Slam do ano, que começou nesta segunda-feira (20).

Publicidade

Luciana Fráguas, correspondente da RFI na Austrália

A chuva, que começou a cair há dois dias, levou ao adiamento de 32 partidas previstas nas quadras externas do torneio. Os jogos previstos na parte coberta do Melbourne Park foram mantidos e Roger Federer venceu o americano Steve Johnson por parciais de 6-3, 6-2 e 6-2, em 1h21.Os jogos da tarde foram interrompidos em algumas quadras a céu aberto por causa da chuva. Mas o pior foi há três dias, quando Melbourne ainda estava sendo sufocada por uma nuvem de fumaça.

Num dos jogos de qualificação para o Aberto, a tenista Dalila Jakupovic, da Eslovênia, caiu de joelhos na quadra, com ataque de tosse. Ela depois abandonou o jogo, que liderava, contra a suíça Stefanie Voegele.

Maria Sharapova também sofreu com o calor e a fumaça, durante seu jogo no Kooyong Classic (um dos vários torneios de preparação para o Aberto). No caso de Sharapova o jogo foi imediatamente cancelado no final do segundo set. Mas não só a eslovena Dalila Jakupovic sofreu dificuldades para respirar durante a sua partida.

A canadense Eugenie Bouchard disse que se sentiu nauseada e com muita dor de cabeça depois que deixou as quadras. Novak Djokovic disse foi triste assistir às eliminatórias e ver “tenistas desabando e as crianças boleiras caindo na quadra," disse. O atual campeão do torneio classificou os incêndios que devastaram o país "como uma tragédia".

"Não é nada agradável ver tantas pessoas sofrendo as consequências de uma força maior que é difícil de deter. Às vezes a natureza mostra como, de certa forma, somos insignificantes em relação a ela,” disse. Petra Kvitova, que pegou segundo lugar no ano passado, e que é asmática, declarou que espera que o tempo melhore durante a competição.

Tempo deve melhorar nesta terça-feira

De acordo com o Bureau de Meteorologia as condições para os milhares de fãs de tênis que vão ao Melbourne Park todos os dias vão melhorar na terça-feira. Na quarta há possibilidade de um aumento no risco de incêndio no norte do estado. O clima ameno desta terça pode ajudar os jogadores lusófonos do Aberto.

Brasil e Portugal estão representados pelos jogadores Thiago Monteiro e João Sousa, respectivamente. João Souza (59º no ranking) enfrenta o argentino Federico Delbonis (73º no ranking) nesta terça-feira (21) pela manhã.

O Brasil tem apenas um representante, o cearense Thiago Monteiro, 25, que estreará contra o norte-americano John Isner, 20º do mundo, também nesta terça-feira. A esperada chuva e os ventos levantaram a fumaça que cobriu por semanas a cidade e se espalhou por todo país. Cerca de 14 incêndios ainda queimam em todo o estado e estão fora de controle, mas pelo menos o ar está mais respirável e as pessoas podem deixar suas máscaras em casa.

Hoje as mídias sociais foram invadidas por vídeos das ‘tempestades-relâmpagos’ que derrubaram árvores e a chuva de granizo que atingiu os bairros ao norte de Melbourne. Pedras de gelo, algumas do tamanho de bolas de golfe, caíram dos céus causando muitos estragos, com queda de árvores, desabamento de tetos de lojas e deslizamentos. Especialistas em mudanças climáticas dizem que o clima extremo é “a nova normalidade”: recordes de temperatura e vento seco ou temporais que causam inundações.

Controle da qualidade do ar

A Tennis Australia, organização que gerencia a competição, apresentou ontem à noite, na véspera da estréia de Naomi Osaka na competição, uma estratégia de controle da qualidade do ar. A organização foi bastante criticada por ter reagido só após as reclamações dos jogadores e das equipes; ‘Como vocês permitem que um jogo continue dessa maneira?’ foi a principal pergunta.

Os árbitros agora têm diretrizes sobre quando um jogo deve ser interrompido, baseado na análise da concentração de poluentes no Melbourne Park, onde ocorre a competição. Os poluentes serão medidos por estações de monitoramento do ar espalhadas pelo parque, que conta com 35 quadras.

Se a concentração exceder o limite estabelecido, a equipe médica e organizadores vão decidir se o jogo continua ou se é interrompido até que um número par de sets seja jogado. O árbitro também pode decidir se interrompe o jogo imediatamente.

Isso causaria caos no Melbourne Park – particularmente agora na primeira semana, quando há dezenas de partidas disputadas todos os dias.A australiana Samantha Stosur disse que a comunicação entre os organizadores e os jogadores é vital para dissipar as preocupações de todos sobre a qualidade do ar.

O Bureau de Meteorologia emitiu alertas de inundações para Melbourne e as áreas do leste do estado. A previsão é de muita chuva, de 30 a 50 milímetros até amanhã, com algumas áreas com até 150 milímetros. Os ventos das chuvas empurram as nuvens de fumaça e a qualidade do ar está voltando ao normal.

As chuvas não devem conseguir apagar os focos de incêndio e as chuvas trazem um risco a mais de enchente, deslizamentos e quedas de árvores. Equipes de resgate devem ser retiradas de algumas áreas florestais e trazidas para a cidade para atender aos muitos pedidos de socorro de várias residências. O serviço de emergência recebe mais de 1.500 ligações em uma tarde de chuva forte.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual você tenta acessar não existe ou não está mais disponível.