Acesso ao principal conteúdo
Ruanda/Relações Internacionais

Félicien Kabuga implicado no genocídio de 1994 no Ruanda foi detido em Paris

Mandado de captura a Félicien Kabuga, publicado  nos  jornais  quenianos em 2002.
Mandado de captura a Félicien Kabuga, publicado nos jornais quenianos em 2002. REUTERS/George Mulala/File Photo

Félicien Kabuga, considerado como o "financiador do genocídio de Ruanda", foi hoje capturado em Paris. O multimilionário, com relações estreitas com os extremistas que coordenaram o genocídio de Ruanda, estava fugido há 20 anos e foi encontrado a viver em Paris com uma identidade falsa. Kabuga fazia parte do círculo restrito do antigo presidente Juvénal Habyarimana, cujo assassínio desencadeou o genocídio ,do qual as principais vítimas foram ruandeses da etnia hutu.

Publicidade

Tido como um dos financiadores e coordenadores do genocídio contra os seus compatriotas da etnia tutsi, Félicien Kabuga,hutu  foi  detido neste  sábado nas  redondezas  de Paris,onde ele vivia desde  há vinte anos com  uma  identidade falsa.

Segundo a  ONU,Kabuga de 84 anos de idade,  que residia em Asnières-sur-Seine nos  subúrbios oeste  de Paris, é acusado de ter criado a  milícias armadas Interahamwe, principal força envolvida no genocídio que provocou  800.000 mortos em 1994, no Ruanda.

 Félicien Kabuga, alvo de um mandato do Mecanismo Internacional (MTPI), estrutura encarregada de concluir as investigações do Tribunal Penal Internacional para o Ruanda, e  juntamente com Protais Mpiranya, antigo comandante da guarda do presidente Juvénal Habyarimana, e o ex-ministro da Defesa Augustin Bizimana, fazia parte do grupo dos principais acusados no âmbito do genocídio do Ruanda.  

Ele é nomeadamente indiciado por  "genocídio", "incitamento directo e  público a cometer genocídio e "crimes contra a humanidade", isto é,perseguições  e  extermínio.

Kabuga vai comparecer imediatamente diante do Ministério Público de Paris e em seguida perante o seu homólogo geral de Paris nos próximos dias.Posteriormente será instituída o procedimento de extradição, pela secção de instrução do Tribunal de Recurso de Paris, que deverá decidir sobre a sua entrega ao  Mecanismo Internacional do Tribunal Penal Internacional de Haia.

Em 1994, Félicien Kabuga pertencia ao círculo restrito do presidente Juvénal Habyarimana cujo assassínio, no dia 6 de Abril de 1994, iria desencadear  o genocídio. Kabuga presidia a tristemente  célebre  Rádio Televisão Livre das Mil Colinas (RTML)  que  transmitiu apelos ao assassínio de ruandeses da etnia tutsi, bem como o Fundo de Defesa Nacional (FDN) que angariava fundos destinados a financiar a logística e as armas dos milicianos hutus interahamwe.

De acordo com  o Tribunal Penal Internacional para o Ruanda , Kabuga  ordenou igualmente aos empregados da sua firma que importassem um quantidade impressionante de catanas para o Ruanda,em 1993. Em  seguida as catanas foram distribuídas em Abril de 1994 aos membros da milícia Interahamwe.

Segundo Eric Emeraux, chefe do Serviço Central de Luta Contra os Crimes contra a Humanidade (OCLCH), Félicien Kabuga foi detido no sábado, dia 16  de Maio de 2020 nos subúrbios de Paris, ao cabo de investigações retomadas há dois meses, na  sequência de informações comunicadas  ao Mecanismo Internacional, com a cooperação da Bélgica e do Reino Unido.

Félicien Kabuga implicado no genocídio do Ruanda detido em Paris 16 05 2020

                              

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.