Acesso ao principal conteúdo
Iraque/Direito

Iraque : francesa condenada à pena perpétua

A francesa Mélina Boughedir com a sua filha no  colo, durante o seu  primeiro julgamento em Fevereiro .  Bgadag. 19 de Feveiro de 2018.
A francesa Mélina Boughedir com a sua filha no colo, durante o seu primeiro julgamento em Fevereiro . Bgadag. 19 de Feveiro de 2018. STRINGER / AFP

A francesa Melina Boughedir foi condenada à uma pena perpétua no Iraque por, segundo as autoridades iraquianas, ter sido membro do grupo jiadista Estado Islâmico. Bouhgedir cumprirá uma pena de 20 anos, o equivalente à uma prisão perpétua no direito iraquiano. O caso de Melina Boughedir desencadeou uma polémica no seio da classe política francesa, no respeitante ao seu eventual repatriamento para cumprir a pena no seu país natal. Marine Le Pen, lider do partido extrema-direita, Rassemblement National não é favorável ao repatriamento de Boughedir.

Publicidade

Com 27 anos de idade, mãe de quatro filhos, dos quais três foram repatriados para a França, Melina Boughedir já tinha sido condenada em Fevereiro a sete meses de prisão por ter entrado ilegalmente no Iraque.

Neste domingo, Boughedir foi condenada à prisão perpétua no âmbito da lei anti-terrorista iraquiana, acusada de ter sido membro do grupo jiadista Estado Islâmico.

A francesa deverá cumprir 20 anos de prisão, o equivalente de uma pena máxima, de acordo com o código penal iraquiano.

Boughedir, cujo marido está em paradeiro desconhecido ,negou ser uma militante do Daech, tendo afirmado que ela  apenas acompanhou o seu marido.

O seu advogado iraquiano, Nasureddin Madlul Abd declarou ao tribunal que a senhora Boughedir, tinha-se tornado prisioneira do seu esposo.

William Bourdon, Martin Pradel e Vincent Brengarth, os três advogados franceses de Melina Boughedir, exprimiram o seu alívio, por esta última não ter sido condenada à morte. Eles prometeram interpôr  um recurso.

Em França, o caso de Boughedir, provoca polémica no seio da classe política, divida entre os favoráveis e os não favoráveis ao repatriamento da francesa condenada no Iraque.

A líder do partido da extrema-direita Rassemblment National,( ex-Frente Nacional) Marine Le Pen declarou a sua oposição ao retorno de Melina Boughedir à França.

Na passada quinta-feira, Jean-Yves Le Drian, ministro dos negócios estrangeiros francês provocou uma celeuma ao declarar ao canal de informação privado LCI , que Melina Boughedir era um membro do grupo terrorista Estado Islâmico, que lutou contra o Iraque, por isso ela devia ser julgada pela justiça iraquiana.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Faça o download da aplicação

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.