Acesso ao principal conteúdo
Política/Coreia do Norte

Coreia do Norte celebra 70 anos sem mísseis

Cerimónia da celebração dos 70 anos da República Popular Democrática da Coreia.Pyongyang. 09 de Setembro de 2018 .
Cerimónia da celebração dos 70 anos da República Popular Democrática da Coreia.Pyongyang. 09 de Setembro de 2018 . Ed JONES / AFP

A Coreia do Norte celebrou o seu setagésimo aniversário com um impressionante desfile militar,do qual, desta vez não faziam parte os seus mísseis balísticos intercontinentais. Milhares de mlilitares, peças de artilharias e tanques, marcaram a parada, no decurso da qual o presidente Kim Jong-Un saudou a multidão presente, ao lado de Li Zhanshu, representante do líder chinês, Xi Jinping, na cerimónia decorrida em Pyongyang.

Publicidade

A República Popular Democrática da Coreia, como é oficialmente conhecida a Coreia do Norte, foi proclamada em 9 de Setembro de 1948, três anos depois da divisão da península coreana pelos Estados Unidos e pela ex-União Soviética, no fim da Segunda Guerra Mundial.

A referida data é um dos pilares importantes no calendário político da Coreia do Norte, e segundo os analistas, tem sido durante anos uma ocasião para os norte-coreanos demonstrarem que podem fabricar mísseis com ogivas nucleares, capazes de alcançar o território dos Estados Unidos.

Todavia este ano, devido à reaproximação diplomática com Coreia do Sul e à cimeira de Singapura,entre Kim Jong-Un e Donald Trump,em Junho,as autoridades de Pyongyang decidiram não desfilar com os mísseis. Note-se por outro lado,que Kim Jong-Un receberá em Pyongyang ,no fim do corrente mês,o seu homólogo da Coreia do Sul,Moon Jae-in, para uma terceira cimeira.

De acordo com Chad O'Carroll,director executivo do Korea Risk Group, os norte-coreanos teriam decidido atenuar o carácter militar da celebração do 9 de Setembro.

A presença de uma delegação chinesa de alto nível ,chefiada por Li Zhanshu, um dos sete membros do Bureau Político do Partido Comunista chinês, segundo também O'Carrol, é uma maneira de lembrar aos Estados Unidos, que a China continua a ser um parceiro crucial para a solução do contencioso inter-coreano.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.