Acesso ao principal conteúdo
Direito/República Democrática do Congo

Correspondente da RFI deixa Kinshasa

O presidente da Commissão Eleitoral da RDC, Corneille Nangaa, tentando acalmar a população  diante da mesa de voto  do  Colégio Saint-Raphaël em Kinshasa. 30 de Dezembro de 2018
O presidente da Commissão Eleitoral da RDC, Corneille Nangaa, tentando acalmar a população diante da mesa de voto do Colégio Saint-Raphaël em Kinshasa. 30 de Dezembro de 2018 Luis TATO / AFP

A Igreja Católica na República Democrática do Congo, afirma saber quem foi o vencedor da eleição presidencial e exortou a comissão eleitoral a dilvulgar, segundo ela, a verdade. Na expectativa do anúncio dos resultados, a correspondente da RFI em Kinshasa  acusada pelas autoridades congolesas de espalhar a confusão, foi convidada a abandonar o país africano na quinta-feira. A RFI desmentiu o envolvimento de Florence Morice em qualquer polémica, no que toca à divulgação do resultado da eleição presidencial.

Publicidade

As autoridades congolesas revogaram a acreditação da correspondente de Radio France Internationale (RFI) em Kinshasa, Florence Morice, e ordenaram que a jornalista francesa abandonasse o território da República Democrática do Congo.

Morice foi acusada dedesencadear uma controvérsia ao anunciar resultados preliminares sobre a eleição presidencial congolesa.

A direcção de RFI desmentiu que a jornalista estivesse envolvida em qualquer divulgação polémica do resultado do escrutínio, cujo anúncio oficial está inicialmente previsto para domingo dia 6 de Janeiro, mas tudo leva a crer que será adiado.

A expulsão da jornalista ocorre num contexto em que a RFI tem a sua transmissão bloqueada na RDC desde há uma semana e a Igreja Católica afirma saber quem foi o vencedor da eleição presidencial. Os dirigentes,da Igreja congolesa, exortaram a Comissão Eleitoral a proclamar o nome do presidente-eleito.

Nas capitais ocidentais espera-se que pela primeira vez, desde a sua independência em 1960, o maior país da África subsaariana realize uma transição pacífica do poder.

A pedido da França ,o Conselho de Segurança da ONU reuniu-se, à porta fechada, nesta sexta-feira, para analisar a conjuntura eleitoral na República Democrática do Congo.

O citado orgão das Nações Unidas, previu igualmente uma reunião pública na terça-feira, dia 8 de Janeiro.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Faça o download da aplicação

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.