Acesso ao principal conteúdo
FRANÇA

Caso Benalla com novas peripécias

Emmanuel Macron e Alexandre Benalla em Paris no Salão da agricultura a 24 de Fevereiro de 2018.
Emmanuel Macron e Alexandre Benalla em Paris no Salão da agricultura a 24 de Fevereiro de 2018. LUDOVIC MARIN / POOL / AFP

Alexandre Benalla, antigo colaborador do presidente francês, demitido em Julho passado na sequência de actos de violência contra manifestantes em Paris, utilizou vários passaportes diplomáticos desde então.

Publicidade

Alexandre Benalla utilizou passaportes diplomáticos cerca de vinte vezes após o seu despedimento declarou o director de gabinete do presidente francês, Patrick Strozda, declarou perante a comissão de investigação do Senado. Ou seja no período entre 1 de Agosto e 31 de Dezembro.

Ao todo Benalla tinha 5 passaportes, três diplomáticos e dois de serviço.

Por não ter devolvido os passaportes diplomáticos o Ministério dos negócios estrangeiros abriu no final do mês passado uma investigação.

O director de gabinete do Eliseu admite um mau funcionamento e falta de reactividade dos serviços da presidência, também no caso de um telefone codificado na posse do antigo colaborador, neutralizado só em Outubro.

Este tinha garantido perante o Senado a 19 de Setembro ter devolvido os passasportes em causa, Benalla que voltará a ser ouvido na próxima segunda-feira.

Strozda admitiu também que Benalla provavelmente falsificou um documento em Junho por forma a obter um dos passasportes que conseguiu durante a sua missão na presidência francesa da qual foi afastado no mês seguinte.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Faça o download da aplicação

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.