Acesso ao principal conteúdo
Moçambique

Centro de Moçambique: 68 mortos e mais de 600 feridos

A passagem da depressão tropical Idai deixou um rasto de destruição pelo centro de Moçambique.
A passagem da depressão tropical Idai deixou um rasto de destruição pelo centro de Moçambique. AMOS GUMULIRA / AFP

Pelo menos 150 pessoas morreram, centenas estão desaparecidas e dezenas de milhar isoladas, principalmente em zonas rurais, devido à passagem do ciclone Idai por Moçambique, Zimbabué e Malawi. A cidade da Beira foi a mais afectada.

Publicidade

A cidade da Beira, uma das maiores de Moçambique, com meio milhão de habitantes, foi a mais afectada. Os últimos dados são conta de 68 mortos e mais de 600 feridos.

A visitar a zona afectada está entre hoje e amanhã o Presidente do país Filipe Nyusi.

Os números de mortos não param de aumentar em consequência da passagem da depressão tropical Idai pelas províncias da região centro de Moçambique. O fenómeno forçou o regresso antecipado do Presidente Nyusi que se encontrava em visita de Estado no vizinho Eswatini (antiga Swazilândia).

Filipe Nyusi sobrevoou neste domingo as regiões afectadas pelas intempéries nas província de Sofala e da Zambézia. Para esta segunda-feira, o estadista moçambicano vai continuar a visitar as zonas afectadas pela depressão tropical Idai.

Com a colaboração de Orféu Lisboa, correspondente em Maputo.

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.