Acesso ao principal conteúdo
Política/México

México:preocupante situação de migrantes

Migrantes aguardam para  entrar no centro Siglo XXI  em Tapachula, no México. Maio de  2019
Migrantes aguardam para entrar no centro Siglo XXI em Tapachula, no México. Maio de 2019 REUTERS / Andres Martinez Casares

A morte de Tania Avalos de 21 anos, Oscar Martinez de 26 anos e da sua filha Valeria de cerca de dois anos , quando a jovem família de El Salvador tentava imigrar clandestinamente para para os Estado Unidos, soou o alerta, acerca das condições dos migrantes que atravessam o México para entrar no território norte-americano. Segundo as Ongs envolvidas na ajuda aos migrantes de passagem pelo México, o tratamento dado, pelas autoridades mexicanas, aos candidatos à imigração nos Estados Unidos não é estranha à tragédia que vitimou a família salvadorenha.

Publicidade

Segundo um documento consultado pela agência de notícias AFP, Tania Avalos, Oscar Martinez e a sua filha Valeria, antes de morrerem no Rio Bravo durante a sua tentativa para entrar clandestinamente nos Estados Unidos, esperaram dois meses em Tapachula na região do Chiapas, sul do México, para obter uma autorização migratória.

Finalmente foi-lhes atribuído um visto humanitário. Avalos, Martinez e a sua filha tencionavam pedir asilo nos Estados Unidos.

Desde o início da crise dos migrantes, que desejam entrar nos Estados Unidos, o governo mexicano atribuiu uma autorização de trabalho limitada aos Estados do sul do México,assim como vistos humanitários que permitem os beneficiários circular na totalidade do seu território.

As ONGs e demais associações envolvidas na assistência humanitária dos migrantes no México, acusam as autoridades locais de endurecer a sua política migratória, depois das recentes ameaças proferidas pela administração americanas.

O governo do Presidente Donald Trump, ameaçou aplicar sanções comerciais ao México, se este não impedir os migrantes, da Guatemala, Honduras, El Salvador e  demais países, de atravessarem o seu território para imigrar clandestinamente nos Estados Unidos.

Não obstante os centros de detenção,desiganadamente em Tapachula (região dos Chiapas) e o reforço da vigilância fronteiriça, migrantes continuam a chegar ao sul do México,alguns deles em condições dramáticas,na esperança de imigrar nos Estados Unidos .

Segundo a AFP, migrantes, nomeadamente haitianos, africanos e asiáticos, detidos nos referidos centros mexicanos, estão entregues a si próprios,sem alimentação, água e cuidados médicos básicos.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Faça o download da aplicação

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.