Acesso ao principal conteúdo
Comissão Europeia

Ursula von der Leyen defende política migratória mais solidária

Ursula von der Leyen a presidente eleita da Comissão Europeia
Ursula von der Leyen a presidente eleita da Comissão Europeia REUTERS/Vincent Kessler

Primeira grande entrevista da futura presidente da Comissão Europeia. A alemã Ursula von der Leyen deixou recados a Itália e à Russia, defendeu uma política migratória mais solidária e reforçou a necessidade de um Brexit ordenado.

Publicidade

Numa entrevista a um grupo de médias europeus, Ursula von der Layen, sublinhou que a saída ordenada do Reino Unido da União europeia é importante para que os laços futuros estejam bem fundamentados. Von der Leyen lembrou que a União Europeia vai esperar a escolha do novo primeiro-ministro britânico para depois procurar novas negociações.

A nova mulher à frente da Comissão Europeia, falou igualmente de migrações, ressalvou que para resolver o problema é necessário investir na origem das migrações, dar uma “resposta humana”, e reformar urgentemente o Acordo de Dublin.

A situação italiana também esteve em cima da mesa, com a presidente eleita da Comissão Europeia a avisar Itália de que “controlará de perto a situação no país”, apesar de a actual comissão Juncker não ter aberto um procedimento de infracção excessiva devido à volumosa dívida pública italiana que superou os 130% do PIB.

Sobre os escândalos europeus com envolvimento da Rússia, Ursula von der Leyen apontou o dedo ao Kremlin que acusa de tentar dividir a Europa.

NewsletterReceba a newsletter diária RFI: noticiários, reportagens, entrevistas, análises, perfis, emissões, programas.

Acompanhe toda a actualidade internacional fazendo download da aplicação RFI

Página não encontrada

O conteúdo ao qual pretende aceder não existe ou já não está disponível.